Primeiro longa de Sérgio Machado chega a Cannes

Cidade Baixa pode ser o primeiro longa de ficção de Sérgio Machado, mas não é seu primeiro contato com cinema. Ele já dirigiu o documentário Onde a Terra Acaba em 2001, trabalha há dez anos com Walter Salles, foi assistente de direção em Central do Brasil e também em Abril Despedaçado, do qual ele também assinou o roteiro. E Walter Salles é o produtor do longa. Com toda esta bagagem, era esperado que Cidade Baixa acabasse sendo selecionado para a mostra Un Certain Regard, no Festival de Cinema de Cannes.O diretor Sérgio Machado conta que o primeiro empurrão para o filme ser realizado foi dado por Salles. ?Até um determinado momento eu pretendia viajar com ele (Salles) para participar do Diários de Motocicleta, que esteve aqui em Cannes no ano passado. Mas ele me disse que achava que eu estava mais do que pronto para fazer meu filme. Walter sempre foi muito generoso, de alguma maneira ele me preparou para o meu filme?, disse.?Eu me lembro que desde a época de Central do Brasil, ele fazia questão de explicar tudo sobre as lentes, que ele usa muito bem. É um relacionamento de amizade e eu também aprendi, eu venho da Bahia e eu não conhecia pessoas que faziam cinema, meu contato com pessoas que se interessavam por cinema ainda era pequeno antes de conhecer o Walter.?O filme conta a história de dois amigos de infância, Deco, interpretado por Lázaro Ramos, e Naldinho, interpretado por Wagner Moura. Os dois trabalham juntos em um barco e dão uma carona para a prostituta Karina, interpretada por Alice Braga, sobrinha da atriz Sonia Braga. Ela quer ir para Salvador. A partir daí surge o triângulo amoroso tendo como cenário as boates e vielas da cidade baixa de Salvador.História de amor - A crítica do filme na revista Hollywood Reporter destaca a violência e o sexo presentes no filme. Mas Machado explica que não começou com a idéia de fazer um filme violento ou sobre sexo, apenas sobre três pessoas que encontram uma forma de viver por meio de uma paixão mais forte.?Eu queria fazer um filme que falasse destas pessoas de classe baixa no Brasil, que lutam muito para sobreviver. Não é um filme passado em favela, mas os personagens não são de classe alta. Eu queria falar dessas pessoas através de um aspecto muito específico que é a ligação amorosa. O filme é, antes de tudo, uma história de amor?, afirmou.?Quando fui falar sobre esta história de amor, me pareceu muito importante ser fiel ao que era real. Então antes de começar a fazer o roteiro eu passei três meses de fato neste universo, conversando com pessoas, ouvindo coisas, fiz amigos verdadeiros neste universo. E me pareceu que era muito importante falar disso, dessas pessoas, do jeito que elas são.?Treinamento - Para interpretar os personagens, os três atores principais passaram por um processo de treinamento juntos, durante meses, que foi coordenado por Fátima Toledo, a mesma que preparou os atores para o filme Cidade de Deus, de Fernando Meirelles. Para Wagner Moura, o processo de treinamento é difícil de descrever, pois Fátima Toledo, para ele, não usa métodos convencionais, de apenas passar o texto.?Ela (Fátima Toledo) criou um método de trabalho próprio, é uma pessoa muito especial, nos tornamos muito amigos, nós todos. Porque vivemos um processo muito intenso e de muita confiança, eu, Lázaro (Ramos), Alice (Braga), Sérgio (Machado) e ela.??É uma experiência que guardamos para o resto da vida, é difícil descrever o que aconteceu porque chegamos a ter momentos muito sublimes, dolorosos. Choramos muitos, nos abraçamos muito, nos amamos, brigamos muito. É difícil definir o que foi o processo?, afirmou.Alice Braga, que interpreta Karina e participou também do filme Cidade de Deus, conta que recebeu muito apoio do diretor, Sérgio Machado, dos outros atores e de Fátima Toledo.?O trabalho que ela (Fátima Toledo) tinha que fazer comigo era me transformar em uma prostituta. Era soltar minha pélvis, me colocar naquele mundo, mostrar o peso da vida, mostrar a sensualidade e sexualidade. Ela foi desvendando o personagem e me desvendando ao mesmo tempo. Foi um desafio. Quando cheguei no set eu já estava preparada para ir a fundo.?Cidade Baixa ainda conta com trilha sonora de Carlinhos Brown e do músico e produtor Beto Vilares, que também participou na trilha de Abril Despedaçado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.