Primeira edição do Paracine tem três vencedores

Os filmes O Encontro, À Margem da Imagem e Um Sol Alaranjado foram os vencedores do 1.º Festival de Curtas de Paraty (1.º Paracine) que integra o 1.º Festival de Cinema de Paraty, que ocorreu a partir de quarta-feira e foi encerrado na madrugada de ontem e no qual foram exibidos 37 curtas-metragens. Na categoria ficção, o júri oficial (que contou com os cineastas Walter Lima Jr. e Rogério Sganzerla) premiou o paranaense O Encontro, de Marcos Jorge, que também foi escolhido melhor diretor. Mas o júri popular preferiu Um Sol Alaranjado, de Eduardo Valente. À Margem da Imagem, de Evaldo Mocarzel, venceu na categoria documentário segundo o júri oficial, presidido pelo cineasta Eryk Rocha, e também no júri popular.Os três premiados do 1.º Paracine já foram laureados nos principais festivais do País. Um Sol Alaranjado ganhou o Prêmio Cinefondation, em Cannes; O Encontro ganhou sete Linhões no Festival de Curitiba; e À Margem da Imagem conquistou o Prêmio Glauber Rocha, na Jornada da Bahia, e a Margarida de Prata da CNBB.O júri de documentário apostou nas novas tecnologias e na abolição do suporte (película, vídeo ou digital). Entre os outros premiados nessa categoria, Beto Sporkens recebeu o prêmio de melhor direção pelo filme Silva e o curta-metragem Vaidade ganhou o Prêmio Especial do Júri, além de melhor roteiro (Fabiano Maciel). Já o júri de ficção só premiou filmes captados e finalizados no formato nobre (o 35 milímetros).Homenagens - A festa de encerramento do 1.º Paracine contou, além da entrega dos prêmios oficiais, com homenagens ao ator Ney Latorraca, aos diretores Paulo Cezar Saraceni e Luiz Carlos Lacerda, e ao produtor Sérgio Saraceni. A cada um deles, o Canal Brasil dedicou documentário com depoimentos e antologia de melhores momentos no cinema.Na área de debates, o festival contou com quatro convidados internacionais - os italianos Marco Giusti e Carlo Freccero; o francês Fréderic Comté; e o africano Abibou Ndiaye. O prefeito de Paraty, José Cláudio de Araújo, agradeceu o empenho da atriz Ana Maria Nascimento Silva, idealizadora do Paracine, e lembrou que "o Festival faz parte dos esforços que buscam o tombamento da cidade como patrimônio mundial pela Unesco".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.