Prévias do Oscar pulverizam prêmios e não fazem favoritos

Depois do recesso das festas de fim de ano, a temporada de prêmios para os melhores do cinema americano em 2001 foi reinaugurada na noite de sábado da mesma maneira que encerrou dezembro: com grande divergência de opiniões. Membros da Sociedade Nacional de Críticos de Cinema, organização formada por 58 dos mais importantes resenhistas de jornais e revistas dos EUA, reuniram-se no restaurante Sardi´s, centro de Manhattan, para eleger o sinistro love story/thriller Mulholland Drive, de David Lynch, como o melhor filme do ano.Em Beverly Hills, a primeira versão do recém-criado prêmio do American Film Institute elegeu a superprodução O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel, do diretor neozelandês Peter Jackson, como o melhor filme de Hollywood em 2001.A maioria dos prêmios de fim de ano têm função primordial em Hollywood: servir de amostra e orientar as indicações para o Oscar, o supra-sumo de todos esses prêmios. Mas a falta de consenso em torno de um filme favorito produzido em 2001 promete transformar a próxima edição do Oscar numa batalha em campo aberto. Além de Mulholland Drive e O Senhor dos Anéis, foram premiados também nas últimas semanas os filmes In the Bedroom (pelos críticos de Los Angeles); Moulin Rouge - O Amor É Vermelho (National Board of Review); e Ghost World (críticos de San Diego).Mulholland Drive também conquistou prêmios dos críticos de Nova York e Boston, mas seu favoritismo para o Oscar ainda é incerto por conta da trama sombria para o paladar dos votantes da Academia. A votação da Sociedade Nacional de Críticos foi acirrada e Mulholland Drive ganhou apenas com dois votos de vantagem (30 a 28). O segundo colocado, a comédia de mistério à la Agatha Christie Gosford Park, rendeu ao veterano Robert Altman o prêmio de melhor diretor, além de acumular os prêmios de roteiro e atriz coadjuvante (à inglesa Helen Mirren).Melhor atriz - A desconhecida atriz australiana Naomi Watts, uma das protagonistas de Mulholland Drive, foi eleita a melhor intérprete do ano. Já Gene Hackman, que faz o patriarca de uma excêntrica família na comédia The Royal Tenenbaums, foi considerado o melhor ator.Steve Buscemi, um solitário de meia idade em Ghost World, recebeu o prêmio de coadjuvante. O filme chinês Amor à Flor da Pele, de Wong Kar-wai, ficou com os prêmios de melhor filme estrangeiro e fotografia. Amor à Flor da Pele não é elegível para o Oscar 2002, pois representou Hong Kong na edição passada do prêmio. Estréia - Criado nos mesmos moldes do Globo de Ouro, o Prêmio do AFI fez sua estréia no sábado, conferindo três prêmios ao O Senhor dos Anéis: além de melhor filme, venceu também nas categorias de efeitos especiais e desenho de produção. Denzel Washington, por um policial corrupto em Dia de Treinamento, e Sissy Spacek, como uma mãe que enfrenta a dor da perda de um filho em In the Bedroom, foram consagrados respectivamente como ator e atriz do ano.Hackman e Jennifer Connelly (por Mente Brilhante) ficaram com os prêmios de coadjuvantes. Altman repetiu a seleção da Sociedade Nacional e foi eleito melhor diretor. Amnésia (Memento) rendeu a seu diretor/roteirista, Christopher Nolan, o prêmio de melhor roteiro.Transmitida ao vivo para todo os EUA e com a participação dos atores Michelle Pfeiffer, Samuel L. Jackson, Diane Keaton e Dustin Hoffman, a festa da AFI foi entremeada por longas intervenções comerciais. O estúdio Miramax fez investimento milionário para seus filmes: chegou a ter dois traillers idênticos do filme francês O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, o favorito para o Oscar de melhor produção estrangeira, num mesmo intervalo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.