Prêmio para produções nacionais tem fortes candidatos

Terminou no sábado à noite, com a exibição de Bufo & Spallanzani, precedido pelo curta BMW Vermelha, a mostra competitiva do Festival do Rio BR 2000. Concorrem só filmes brasileiros. Com base na votação popular, a BR Distribuidora, que patrocina o evento, dá três prêmios - de curta, longa de ficção e documentário. Os prêmios são atraentes - R$ 200 mil para a melhor ficção, R$ 100 mil para o melhor documentário, a título de incentivo à comercialização.Bufo & Spallanzani baseia-se no romance policial de Rubem Fonseca. Assinala a estréia na direção do produtor Flávio R. Tambellini. Ele possui uma produtora, a Ravina Filmes, em homenagem a Ravina, o filme do ex-crítico do Estado, Rubem Biáfora, que seu pai, Flávio Tambellini, produziu nos anos 50. É sócio da Conspiração. Andrucha Waddington, de Eu Tu Eles, subiu ao palco do cine Odeon BR com Tambellini. Tem um crédito de produção. Disse que não tinha nada a fazer ali. "Esta noite é do Flávio". E foi mesmo. O cinema quase veio abaixo, de tantos aplausos, no final. Por mais suspeito que fosse o público - todo mundo era amigo do diretor -, foram merecidos.Bufo & Spallanzani é sólido, muito bem feito. Nem parece filme de estreante. Tambellini agradeceu o muito que aprendeu com todos os diretores com quem trabalhou. O filme leva jeito de ganhar o prêmio do Festival do Rio BR 2000, que será anunciado quarta-feira, no Odeon BR. Mas tem concorrentes de peso - Tolerância, de Carlos Gerbase, com o qual compartilha a atriz Maitê Proença e a estrutura policial, e Bicho de Sete Cabeças, de Laís Bodanzki.O filme de Gerbase talvez seja mais consistente, por ser mais crítico. O de Laís foi finalizado na Itália, com recursos da Fabrica, a divisão da Benetton para cinema. O diretor da Fabrica, Marco Muller, esteve no Rio para prestigiar a exibição. Bicho mistura Um Estranho no Ninho, de Milos Forman, com Vida em Família, de Ken Loach. Mostra o inferno da família, que quase destrói um jovem ao interná-lo num instituto psiquiátrico, como drogado. É barra-pesada e também bem-feito, só que num sentido mais agressivo, menos espetacular do que Bufo & Spallanzani.

Agencia Estado,

15 de outubro de 2000 | 20h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.