Prejuízo da greve dos roteiristas foi de US$ 2,5 mi, diz relatório

Balanço de economista contabiliza salários de profissionais de produções não realizadas e de serviços de apoio

Ubiratan Brasil, com agências internacionais,

08 Fevereiro 2022 | 15h21

A greve dos roteiristas teve um efeito mais devastador que o previsto, informou o economista Jack Kyser, responsável por um relatório anual que abrange a cidade de Los Angeles e vizinhança. De acordo com o balanço do economista, o total dos prejuízos ficou em US$ 2,5 milhões.   Veja também: Hollywood e roteiristas acertam acordo para acabar com greve   Nessa conta, ele soma tanto os salários dos profissionais envolvidos em produções não realizadas como nos serviços de apoio, como motoristas, seguranças, aluguel de figurinos e objetos de cenário, entre outros itens.   Kyser, que elaborou um documento de 71 páginas, apontou ainda prejuízo no turismo, ameaçado quando foi cancelada a entrega do prêmio Globo de Ouro - gerando, na época, perdas avaliadas em US$ 60 milhões -, o que deixou também ameaçada a cerimônia do Oscar, que acontece neste domingo, 24, sob ameaça de chuvas.   A greve dos roteiristas começou no dia 5 de novembro e só foi encerrada no início deste mês.   A preocupação do economista é que o fato abriu uma jurisprudência e pode voltar em junho quando, no dia 30, termina o contrato coletivo dos atores com os estúdios.   Segundo Kyser, o sindicato dos atores de cinema e televisão pode adotar o mesmo discurso e exigir, como fizeram os roteiristas, maior participação nos lucros.

Mais conteúdo sobre:
greve dos roteirasOscar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.