EFE/Mario Ruiz
EFE/Mario Ruiz

Prefeitura no Chile desiste de dar prêmio a Daniela Vega

Prefeito alegou que não poderia conceder o título de cidadã ilustre pois nos documentos da atriz consta seu nome de nascimento, masculino; mudança ainda não é permitida no país

O Estado de S. Paulo

08 Março 2018 | 09h29

A atriz chilena Daniela Vega não receberá um prêmio de cidadã ilustre da sua cidade natal. O prefeito de Ñuñoa, distrito de Santiago, disse que não entregaria a distinção porque nos documentos da atriz constam seu nome de nascimento, masculino, de acordo com a BBC Brasil. No domingo, 4, Uma Mulher Fantástica, com Daniela Vega, se tornou o primeiro filme protagonizado por uma atriz transgênero a vencer o Oscar.

No mesmo dia previsto para a premiação, Vega foi recebida pela presidente do Chile, Michelle Bachelet, e criticou a legislação do país, que não permite a mudança de nome no documento. No início de março, o STF decidiu que, no Brasil, transgêneros podem mudar de nome no registro civil sem necessidade de autorização judicial. No Chile, um processo semelhante está em trâmite no Senado.

Em Uma Mulher Fantástica, Vega interpreta Marina, uma mulher transgênero que diante da morte de seu companheiro enfrenta a discriminação e a rejeição da família dele. O filme a lançou no ano passado à cena internacional e pôs Hollywood a seus pés. Não por acaso, foi a primeira transexual a apresentar uma atração na cerimônia do Oscar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.