Poucos latino-americanos em Cannes

Na grande festa do 55.º Festival de Cannes, entre 15 e 26 de maio, há pouco epaço para o cinema latino-americano.Como já havia sido anunciado, do Brasil será exibido, na seção oficial, mas fora de concurso, o longa-metragem Cidade de Deus, de Fernando Meirelles. Madame Satã, de Karim Aïnouiz, estará na mostra Um Certo Olhar e o curta-metragem Uma Mensagem do Brasil _ A Saga de Castanha e Caju contra o Encouraçado Titanic, de Walter Salles e Daniela Thomas, foi programado para a Quinzena dos Realizadores.A única novidade é a inclusão do curta-metragem Um Sol Alaranjado, de Eduardo Valente, na Cinefondation, mostra para a qual foram selecionados 20 trabalhos entre 750 inscritos.Dos países hispano-americanos, apenas a Argentina emplacou El Bonaerense na mostra Um Certo Olhar e, em competição, o curta-metragem Tango del Olvido, de Alexis Mital Toledo. Outro argentino, Gaspar Noé, apresentará, sob bandeira da França, seu país adotivo, o longa Irreversible, na seleção oficial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.