Possível greve de produtores já afeta cinema dos EUA

Por Gregg Kilday LOS ANGELES (Hollywood Reporter) - Com o fim do contratocom a Associação de Atores, a indústria cinematográficacontempla, nervosa, a possibilidade de haver outra greve,embora admita que, pelo menos na produção dos filmes, uma grevejá está efetivamente em curso. A Aliança de Produtores de Filmes e Televisão (AMPTP), nasigla em inglês) disse, em um relatório lançado naquinta-feira, que uma greve de fato, "limitando a exposição doslonga-metragens e atrapalhando a produção de pilotos" jácomeçou. Um dos advogados afirmou: "Ninguém está fazendo nadaque termine depois de 30 de junho, e ninguém está começandonenhum projeto agora. A greve já teve impacto". A ameaça de uma paralisação teve impacto no cronograma dasproduções de grandes estúdios, o que colocou a produção dealguns projetos em abril, para que as filmagens terminem antesde 30 de junho. Já alguns filmes que têm estréia marcada para datasimportantes de 2009 decidiram seguir em frente e correr o riscode eventuais interrupções na produção. "Anjos e Demônios", continuação de "O Código Da Vinci", porexemplo, já foi forçado a atrasar a produção uma vez, quando oroteirista Akiva Goldsman não reviu os escritos durante a grevedos roteiristas. Com a data de lançamento adiada de 19 de dezembro para 15de maio de 2009, as filmagens começaram neste mês, em Roma, como diretor Ron Howard e o ator Tom Hanks em locações em Roma.Cruzando os dedos, a Columbia calcula que, se a greve forçaruma nova interrupção, a produção poderá retomar o trabalho semprejudicar o lançamento.Já os filmes independentes não vão ser tão prejudicados, já quea Associação de Atores diz ter feito um acordo com mais de 300produtores de filmes independentes, o que permitiria que osatores continuem a trabalhar em caso de greve. Vários produtores independentes disseram que conseguirãoempregar atores mais talentosos devido à garantia de pagamento,não importa o que aconteça em relação à greve. Já as equipes de pós-produção, que mal se recuperaram dagreve dos roteiristas, estão bastante preocupadas. "Acreditamosque esta vai ser ainda pior", disse Stephen Buchsbaum,presidente do Post Group.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.