Polícia tailandesa diz que Carradine morreu durante ato sexual

Ator famoso por 'Kung Fu' tinha uma corda 'atada ao redor de seus genitais e de seu pescoço'

AP,

05 Junho 2009 | 14h30

O cadáver do ator norte-americano David Carradine, astro da série de televisão Kung Fu, foi encontrado dentro do guarda-roupa do quarto de seu hotel com cordas amarradas em seu pescoço e genitais. Primeiramente a polícia tailandesa suspeitou de suicídio, mas as pessoas próximas de Carradine duvidaram desta hipótese. Agora, acredita que ele tenha morrido por uma asfixia acidental.

 

David Carradine em foto recente e no papel que o celebrizou na série de TV 'Kung Fu'

 O corpo do ator de 72 anos foi encontrado na quinta-feira, 4, em uma suíte de luxo do hotel Swissotel Nai Lert Park de Bangcoc. O tenente da polícia Worapong Chewprecha disse aos jornalistas que o corpo de Carradine tinha uma corda "atada ao redor de seu pênis e outra corda ao redor de seu pescoço". Ainda segundo Chewprecha, "as duas cordas estavam atadas uma à outra".

 

"Não está claro se ele se suicidou ou se morreu asfixiado por um problema cardíaco devido a um orgasmo". A polícia concluiu uma autópsia nesta sexta-feira, mas ainda não divulgou nenhum resultado oficial.

 

Nanthana Sirisap, diretor do Centro de Autópsias do Hospital Chulalongkorn, disse que a análise do cadáver foi feita devido às  "circunstâncias inusitadas da morte de Carradine", mas não deu mais detalhes.

 

O tenente da polícia Teerapop Luanseng disse na quinta, que o corpo de Carradine estava "nu, dependurado no guarda-roupa" e que a polícia trabalhava com a hipótese de suicídio.

 

Uma das agentes de Carradine, Tiffany Smith da companhia Binder & Associates, descartou essa possibilidade.

 

"Tudo o que podemos dizer é que sabemos que David não se suicidaria", disse Tiffany. "Estamos esperando que terminam a investigação e averiguem o que ocorreu realmente. Ele apreciava muito tudo o que a vida tem a oferecer... E isso não é algo que David faria consigo mesmo".

 

Carradine chegou à Tailândia na semana passada e começou a gravar um filme chamado Stretch dois dias antes de morrer, disse Tiffany. Tinha vários projetos preparados para depois desse filme de ação dirigido por Charles De Meaux.

O ator estava de "bom humor" quando deixou os Estados Unidos e em 29 de maio, disse a agente.

O gerente geral do hotel, Aurelio Giraudo, disse que Carradine ingressou em 31 de maio e foi visto pela última vez em 3 de junho. Carradine conversava com os empregados e até tocou piano e flauta no lobby do hotel algumas noites, disse.

 

"Eu era seu fã. Tivemos uma conversa muito linda quando ele se registrou no hotel", disse Giraudo à Associated Press. "Era uma pessoa muito cheia de vida. Contei a ele que havia visto o filme Crank com minha família e ele sorriu para mim".

 

Giraudo disse que uma arrumadeira encontrou o corpo de Carradine após bater na porta sem ouvir resposta. A polícia chegou em seguida.

Carradine, praticante de artes marciais, ficou conhecido pela série de TV Kung Fu, transmitida entre 1972 e 1975. Interpretava a Kwai Chang Caine, um monge Shaolin que viajava pelo oeste dos EUA a fim de matar o sobrinho de um imperador que teria assassinado seu mestre de Kung Fu.

 

No total, trabalhou em mais de 100 longas com diretores como Martin Scorsese, Ingmar Bergman e Hal Ashby. Recentemente voltou às telas como Bill, na série Kill Bill, de Quentin Tarantino.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.