CIRANDA DE FILMES
CIRANDA DE FILMES

Plataforma 'Ciranda Cirandinha' reúne filmes, animações e atividades infantis

Criada por Fernanda Heinz Figueiredo e Patricia Durães, da Ciranda de Filmes, novo portal traz cerca de 90 títulos, entre curtas e longas

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2020 | 14h52

Criada há seis anos por Fernanda Heinz Figueiredo e Patricia Durães, a Ciranda de Filmes deu frutos e gerou a Ciranda Cirandinha, que se iniciou nesta quarta, 4, e irá até o dia 18, com cerca de 90 títulos, entre curtas e longas. Neste momento de quarentena e isolamento social, a Ciranda Cirandinha, totalmente online e gratuita, surge com o objetivo declarado de atingir crianças, jovens e adultos de todo o Brasil, que poderão se reunir virtualmente para compartilhar experiências, emoções, sonhos.

E não são só filmes – a Ciranda Cirandinha oferece oficinas de animação de desenhos, performances, vivências artísticas, tudo com o objetivo de satisfazer necessidades lúdicas – somos todos brincantes -, mas também fazendo dessas brincadeiras ferramentas para a reflexão sobre o estado do Brasil e do mundo.

Alguns filmes da pogramação – o australiano F de Felicidade, de John Sheedy, o belga Binty, de Frederick Migon, a animação brasileira Pergaminho Vermelho, de Nelson Botta e o média, também brasileiro (pernambucano), O Outro Lado do Outro, de Kurt Shaw e Rita de Cácia Oenning da Silva. Esse último nasceu de um projeto que tem feito interagir crianças da classe média do Recife com outras da perifereia da capital de Pernambuco.

A 1ª Ciranda Cirandinha – a expectatiova é que surjam muitas – presta homenagens. O diretor mineiro Helvécio Ratton tem abordado com sucesso o universo infanto-juvernil. Dele, serão apresentados três filmes – O Menino Maluquinho, Pequenas Histórias e O Segredo dos Diamantes. Ratton estará na roda Meninos Maluquinhos, Ontem e Hoje, batendo papo com os atores de seus filmes. Alguns eram crianças, já viraram homrens. O centenário da grande Clarice Lispector também será lembrado, com a exibição do curta Clandestina Felicidade, de Beto Normal e Marcelo Gomes.

Para assistir aos filmes e participar das atividades basta entrar no site e abrir a plataforma Innsael/TV. Criada sua senha e preenchido o cadastro, o acesso é livre, e para toda a programasção. Tem mais. A Ciranda Cirandinha está criando um Espaço Sonhário. A inspiração veio do neurocientista Sidarta Ribeiro, que incentiva as pessoas a prestarem atenção em seus sonhos, como recados do inconsciente, e do líder indígena Ailton Krenak, que vive destacando a importância dos sonhos comunitários.

A construção do sonhário coletivo permitirá que crianças e adultos inventariem seus sonhos por meio dos mais variados registros - fotos, vídeos, desenhos, textos escritos. Os sonhos deverão ser enviados para o endereço sonhario@cirandadefilmes.com.br. A ideia de Fernanda e Patricia é reunir esses registros numa publicação a ser lançada no final do evento.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.