Evelyn Hockstein/Pool/ Reuters
Evelyn Hockstein/Pool/ Reuters

‘Piratas do Caribe’ versus ‘Aquaman’

Johnny Depp X Amber Heard promete ser o julgamento da década nos EUA

Marcelo Rubens Paiva, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2022 | 03h00

Entre os julgamentos que mudaram os rumos da Humanidade, destacam-se os de Sócrates, Jesus, Galileu, Bruxas de Salem, Joana d’Arc, rei Charles I, caso Dreyfus, Nuremberg e Israel versus Eichmann.

Oscar Wilde, condenado e preso por ser homossexual, e Flaubert, processado por Madame Bovary, questionaram valores. Brown versus Secretaria da Educação exigiu que escolas públicas americanas aceitassem negros. O julgamento de Scopes pôs um fim na lei que criminalizava o ensino de Darwin. Roe versus Wade levou a Suprema Corte dos Estados Unidos a reconhecer o direito ao aborto. Pode ser derrubado agora.

Johnny Deep versus Amber Heard, processo de atores que perderam papéis nas franquias Piratas do Caribe e Aquaman, promete ser o julgamento da década. Só se fala disso nos EUA. Eles tiveram uma relação tempestuosa entre tapas e beijos em momentos em que estouravam nas bilheterias e garrafas de champanhe. Ele abusava das drogas, num retrato literal de um relacionamento tóxico. 

No auge do Me Too, ela escreveu um artigo no The Washington Post contando que acabara de sair de uma relação com abusos físicos. Não apresentou nome do abusador. Eles começaram a se filmar e gravar tretas às escondidas.

Johnny foi demitido da Disney, chamado de espancador de mulheres pelo The Sun e acabou processando-a por difamá-lo. Afirma que ele é que teve o dedo decepado por uma garrafa de vodca atirada por ela e foi a vítima do abuso. Os podres do casal são expostos em transmissões ao vivo. 

Os advogados de Weinstein, Bill Cosby, Woody Allen chamaram de mentirosas quem acusou seus clientes. Já se provou que Amber mentiu, ao dizer que doou dinheiro do divórcio para instituições de caridade. Ela foi diagnosticada como bipolar e histriônica por uma perita da equipe de Johnny.

Ela disse que foi espancada, mas apareceu no James Corden Show deslumbrante. Disse que foi esganada, e à noite estava numa estreia com um decote em que não mostrava marcas. Maquiada? Aparecia com feridas, olho roxo, nariz quase quebrado e cabelos arrancados a muitos: vizinhos, familiares, amigos, assistentes. Ele, cheirado, bêbado, enciumado.

Especialistas em linguagem corporal dizem que ela mente ao fechar os olhos por cinco segundos ou encolher os ombros. O processo afetou a carreira dos dois. O acusado abusador pode ser inocentado, virar abusado e desincentivar outras denúncias. 

Evidente que OJ Simpson matou a ex-mulher. Foi inocentado por conta da investigação de uma polícia racista. De novo a máquina de moer de Hollywood atravessa um julgamento. Entra pra História? Infelizmente como o mais absurdo de todos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.