Pirata de filmes do Oscar diz que é inocente

Russell William Sprague, de 51 anos, acusado de piratear os filmes concorrentes ao Oscar e divulgá-los pela internet disse que é inocente da acusação de infringir o direito de propriedade intelectual. Ele deve ser indiciado no dia 30 de março, acusado de conspiração e infração das leis de direitos autorais, após ter sido preso no mês passado por agentes do FBI em um subúrbio de Chicago.Sua prisão ocorreu em meio às investigações sobre a cópia ilegal de filmes enviados pelos estúdios aos membros do júri da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, para elaboração da lista dos indicados ao Oscar.Estas cópias ilegais foram divulgadas depois pela internet. Sprague foi acusado de liberar as cópias de O Último Samurai, Mestre dos Mares e Matrix Revolutions e foi acusado também de fabricar equipamentos para receber sinais de televisão por satélite sem pagar pelo serviço.Sprague negou que tenha divulgado os filmes pela internet. Os policiais federais que investigam o caso disseram que os estúdios de Hollywood informaram que os filmes pirateados tinham sido enviados a Carmine Caridi, um ator de 69 anos, que é membro da Academia, que admitiu ter enviado cópias de vários filmes a Sprague.

Agencia Estado,

18 de fevereiro de 2004 | 12h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.