Petrobras recebe queixa de cineastas paulistas

Representantes do cinema paulista foram recebidos nesta terça-feira na sede da Petrobras, no Rio, pela gerente de Patrocínio Cultural da Petrobrás, Eliane Costa, e pelo coordenador da comissão de seleção do edital de patrocínio cultural, José Carlos Avellar. O resultado, que destina aos longas-metragens aproximadamente R$ 20 milhões, foi divulgado na última semana e deixou descontentes os profissionais de cinema de São Paulo. Dos 29 filmes selecionados pela comissão da empresa, a maior patrocinadora do cinema nacional, 18 são do Rio e apenas 3 são de São Paulo (Estado que apresentou 110 das mais de 300 inscrições). Na reunião, representando os cineastas de São Paulo, estavam o diretor Toni Venturi, o cineasta André Sturm (presidente do Sindicato da Indústria Cinematográfica de São Paulo) e os diretores Ícaro Martins e André Klotzel, respectivamente presidente e vice-presidente da Associação Paulista de Cineastas (APACI).A comissão enviada ao Rio, que já havia reagido por meio de uma carta enviada à empresa, pediu saídas alternativas ao resultado. ?A reunião foi positiva. Não queremos mudar o resultado final do concurso, mas compensar o resultado desastroso. O importante é que a demanda de São Paulo seja contemplada. Se o Estado não filmar neste ano, não perde só culturalmente, mas industrialmente também?, declarou Sturm. ?A comissão de seleção vai encaminhar nossa demanda aos conselhos jurídico, técnico e de orçamento, para checar se há viabilidade?, relatou Sturm. ?Voltaremos a nos reunir na próxima semana. E os dois lados vão pensar em soluções, que pode ser até mesmo um novo concurso. O que importa é que uma solução terá de ser encontrada em breve. Não podemos esperar meses por isso?, completou o cineasta.

Agencia Estado,

04 de julho de 2006 | 20h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.