'Pequeno Segredo' é exibido oficialmente para os votantes do Oscar

'Pequeno Segredo' é exibido oficialmente para os votantes do Oscar

A sessão que ficou lotada segundo David Schurmann, diretor do filme, aconteceu na última quinta à noite, 17, em Los Angeles

Amilton Pinheiro, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2016 | 17h06

As últimas semanas têm sido muito corridas para David Schurmann por conta de Pequeno Segredo, escolhido pelo Brasil para disputar uma das cinco vagas de melhor filme estrangeiro no Oscar de 2017. No Brasil ele está dando uma força no lançamento no restante do país (já estreou nas grandes cidades) e foi duas vezes para Los Angeles, Estados Unidos, acompanhar duas exibições do Pequeno Segredo. Antes da sessão oficial para membros do Oscar que aconteceu na quinta-feira, 17, o filme foi exibido mais três vezes nos Estados Unidos.

Pequeno Segredo foi exibido exclusivamente para os membros votantes da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, no Samuel Godwyn Theater, em Beverly Hills, considerada a casa da Academia e tecnicamente uma das melhores salas do mundo. Recebemos a notícia dos meus estrategistas que a sessão teve a presença de mais de 100 membros votantes e que o filme foi aplaudido e muito elogiado na saída”, conta o diretor em entrevista exclusiva para o Estado.

Mas Schurmann sabe que isso não é garantia de votos para seu filme, já que ele tem pela frente os outros concorrentes, ao todo são 85 indicados por seus países para disputar uma das cinco vagas no Oscar. E tem muito peso pesado aí nesse lista, como Julieta de Pedro Almodóvar (O diretor espanhol já venceu o Oscar duas vezes, uma de filme estrangeiro Tudo Sobre Minha Mãe e outro pelo roteiro de Fale com Ela), o indicado pela França, o polêmico Elle, de Paul Verhoeven, que passou pelo Festival de Cannes, Fogo no Mar, de Gianfranco Rosi, representante italiano que ganhou o prêmio máximo no Festival de Berlim desde ano e Desde Allá – De Longe Te Observo, de Lorenzo Vigas, vencedor do Leão de Ouro do Festival de Veneza de 2015.

Sobre as chances de Pequeno Segredo em relação aos outros filmes, David Schurmann não tem como opinar, pois não teve tempo de vê-los, com exceção de Julieta. “Com a campanha e a distribuição nacional do Pequeno Segredo no Brasil ainda não tive tempo para assistir aos outros indicados a uma vaga de filme estrangeiro no Oscar de 2017. Só vi Jullieta de Pedro Almodóvar [candidato pela Espanha]. Meus planos nas próximas semanas é ver a maior quantidade de longas que eu puder”, disse Schurmann.

Numa das sessões que o diretor esteve presente em Los Angeles, promovida por um importante site de cinema, ele ficou bastante animado com a recepção do público que encheu a sala para ver o filme e lá permaneceu após a projeção para participar de um bate papo com ele e com uma das atrizes, a irlandesa Fionnula Flanagan, que faz a personagem Barbara. “A jornalista e editora-chefe do site Wrap, Shanon Waxman, que mediou o debate, ficou impressionada pelo fato do público de cinema, que lotou a sessão, ter permanecido para participar de perguntas e respostas, já que é de costume nesses eventos que metade da sala saia”, revelou o diretor.

 

Mais conteúdo sobre:
Cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.