Vicente Gil/Divulgação
Vicente Gil/Divulgação

Peças da mostra Stanley Kubrick vão a leilão

Objetos inspirados em ‘2001’, ‘O Iluminado’ e ‘Laranja Mecânica’ serão vendidos a preços simbólicos pelo MIS neste fim de semana

Clarice Cardoso, O Estado de S. Paulo

14 Janeiro 2014 | 03h00

Cinco horas de fila sob forte sol separavam o cinéfilo da exposição Stanley Kubrick em seu último fim de semana em cartaz no Museu da Imagem e do Som (MIS). Com horários de visitação estendidos para as 3h da manhã no sábado e as 23h no domingo, o público compareceu em massa nos instantes finais.

O acervo reunia mais de 500 itens utilizados pelo diretor de Laranja Mecânica, 2001 – Uma Odisseia no Espaço e O Iluminado. Entre eles, estudos de roteiro, figurinos, claquetes e o Oscar de efeitos especiais que ele ganhou em 1969.

Sucesso também de crítica, a mostra recebeu, no total, 80 mil pessoas, um recorde histórico para a instituição. “Acreditava que chegaríamos a um número próximo dos 50 mil, e o resultado foi ainda mais extraordinário. É mais positivo se pensarmos que era uma exposição que permitia a visita de 200 pessoas por vez, ou seja, o acesso não era ilimitado. Caso o fosse, poderíamos ter conquistado ainda mais público”, comemora André Sturm, diretor executivo do MIS.

No momento em que pensava a desmontagem das salas, surgiu a ideia de destinar aos fãs lembranças permanentes de sua visita. Por isso, o museu organiza no próximo dia 19, às 16h, um leilão de objetos de cenografia inspirados nos filmes do diretor com preços simbólicos. Na lista estão itens como uma porta de madeira da sala que remete a O Iluminado, máscaras brancas como as usadas em De Olhos Bem Fechados e óculos cenográficos como os de Lolita.

“Com o sucesso da exposição e a presença constante de fãs apaixonados, doeu pensar em simplesmente jogar fora objetos que fizemos. Fora isso, as duas edições dos catálogos, que somavam 30 mil exemplares, esgotaram. O leilão é pensado para quem quer guardar essas lembranças, daí os preços baixos, a partir de vinte, cem reais. O objetivo não é fazer uma receita expressiva ou recuperar os custos de confeccioná-los, mas dar a chance a quem quer levar uma parte de Stanley Kubrick para casa”, explica André. Vale lembrar que quem arrematar algum lote será responsável por seu transporte.

No domingo, apenas os objetos serão ofertados no auditório do museu, e não haverá visitação. “O local comporta 170 pessoas. Quem chegar, entra”, alerta André, já de olho na próxima atração do MIS, que também promete atrair legiões de fãs: a exposição David Bowie.

Será a primeira retrospectiva internacional sobre a carreira do britânico e contará com aproximadamente 300 itens, como manuscritos, instrumentos e 47 figurinos. A mostra ficará em cartaz do dia 31 até 20 de abril. “Acredito que temos a possibilidade de atingir números parecidos com os de Kubrick. Caso isso aconteça, vamos esticar os horários de visitação antes e atendermos o maior número de pessoas possível”, aposta André.

Os lotes

‘Barry Lyndon’

Lustre; 6 castiçais pequenos; 4 castiçais grandes

‘O Iluminado’

Porta de madeira ‘237’

‘Dr. Fantástico’

Luminária oval

‘Nascido para Matar’

2 beliches de metal e colchões

‘De Olhos Bem Fechados’

6 máscaras brancas

‘2001’

Móvel (estrutura de madeira e vidro)

‘Laranja Mecânica’

10 néons coloridos

‘Lolita’

Sofá cor-de-rosa; óculos cenográfico em formato de coração

Sala de música

Sofá de madeira branco e almofadas

BOTA-FORA KUBRICK

MIS. Avenida Europa, 158, Jardim Europa. tel. 2117-4777. Dom., 16 h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.