"Pearl Harbor" começa a gerar polêmica

O épico Pearl Harbor, filme que estréia dia 1.º junho no Brasil e na sexta nos EUA, pode causar ódio contra os americanos de origem asiática, disse Floyd Mori, presidente da Liga de Cidadãos Nipo-Americanos. Segundo o representante, o longa que fala sobre o ataque japonês à base naval americana em 1941 retrata os orientais de forma estereotipada e nem sequer faz referência aos nipo-americanos que integraram as tropas americanas na Segunda Guerra Mundial.O tablóide The Sun publicou hoje uma matéria afirmando que o filme, produzido pela Disney, será censurado nos mercados japonês e alemão. Segundo o jornal, no Japão, por exemplo, a cena final, em que a atriz Kate Beckinsale fala sobre a "covardia" dos oponentes, não será incluída. Na Alemanha, o discurso final, apesar de não se referir de forma direta aos alemães, será reduzido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.