Páscoa dá fôlego novo ao "Cristo" de Mel Gibson

O feriado de Páscoa deu fôlego novo à já bem sucedida carreira de A Paixão de Cristo nos cinemas. A sangrenta versão de Mel Gibson para as últimas horas de Jesus conseguiu retomar o topo das bilheterias americanas,faturando mais US$ 17,1 milhões.O filme esteve na liderança do ranking em suas três primeiras semanas em cartaz. Perdeu posições nas semanas seguintes, mas manteve sempre um bom faturamento médio. Já alcança um total de US$ 354,8 milhões. Com isso, superou o faturamento de O Senhor dos Anéis - As Duas Torres e já tem a oitava maior arrecadação de todos os tempos, logo atrás de Jurassic Park, em sétimo.Para Paul Dergarabedian, da Exhibitor Relations, dedicada ao movimento de bilheterias, o feito de Gibson não tem precedentes. "Nunca vi isso. A Paixão está reeescrevendo a história das bilheterias."Com mais US$ 17,1 milhões, a polêmica produção de Gibson desbancou com facilidade a adaptação dos quadrinhos Hellboy, que faturou US$ 11,1 milhões e caiu para o segundo lugar do ranking. Em terceiro, empatados, aparecem o épico da Disney The Alamo e a comédia Johnson Family Vacation.O filme da Disney foi, a propósito, a grande decepção do feriado. "Estamos desapontados principalmente porque achamos ter feito um bom filme", disse Chuck Viane, diretor de distribuição. "Estou chocado, honestamente. O filme merecia mais que isso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.