Parentes criticam filme sobre Elián

A família de Elián González, em Miami, criticou como infiel o filme sobre a batalha jurídica pela custódia do garoto de seis anos. A história da criança sobrevivente ao naufrágio de uma travessia entre Cuba e a Flórida, acolhida por parentes na América em dezembro de 99, terminou dia 28 de junho, com a vitória de seu pai - que não fez a travessia - e sua volta à ilha de Fidel.The Elian Gonzalez Story (A História de Elián Gonzalez) será transmitida no domingo pelo canal a cabo americano Fox Family Channel. Lázaro González, um de seus tios, viu recentemente o filme e declarou que "nada nele é verdade".González disse que riu na maior parte do filme de quase duas horas, mas chorou ao ver a cena em que agentes federais arrombavam sua casa para tomar-lhe o menino. Não é o único a manifestar essa opinião sobre o longa, que será exibido às 20h do local. Os advogados e assessores da família, que também viram o filme nesta semana, disseram que a obra não refletia adequadamente o que ocorreu, nem pública nem privadamente, durante os seis meses em que Elián esteve na casa de Lázaro."Não queria assistir porque pensava que seria muito doloroso", disse o advogado Kendall Coffey. Mas emendou que, pelo lado ficcioso, ver o filme acabou sendo pouco penoso."Um detalhe atrás do outro era falso, e nem sequer puderam organizar a cronologia corretamente", disse Coffey, que não é representado no filme.Lance Robbins, o produtor executivo, disse estar orgulhoso da película que, ao seu ver, reflete "uma batalha decisiva pela custódia, uma batalha entre nações". Admite que há impressões, mas acrescenta que o filme - a primeira sobre a saga de Elián - é um drama basado em fatos reais, e não um documentário.Robbins disse que as restrições cronológicas obrigaram a comprimir alguns episódios. Robbins disse que entrevistaram muitas testemunhas e participantes do conflito, incluindo Lázaro. O roteirista Dennis Turner recriou algumas conversas. Opinou que o longa-metragem descreve corretamente os acontecimentos, em substância e tonalidade.Todos os familiares, incluindo Lázaro, negaram terem sido entrevistados pelos realizadores da obra.

Agencia Estado,

13 de setembro de 2000 | 22h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.