Paramount decide romper contrato de Tom Cruise

Cansados com as atitudes polêmicas, e às vezes estranhas, de seu maior astro, a Paramount Pictures decidiu rescindir o contrato que tinha há 14 anos com Tom Cruise. Segundo o jornal The Wall Street Journal, em entrevista publicada nesta quarta-feira com o presidente do estúdio,Summer Redstone, a demissão do ator está ligada ao seu comportamento recente, marcado pela sua defesa da cientologia e por seus relacionamentos amorosos. "Não é nada com seu talento artístico, ele é um ator excelente", diz Redstone. "Mas por mais que gostemos dele, seria errado renovar o contrato. Sua conduta recente não é aceitável para a Paramount." Redstone estava se referindo a uma série de polêmicas durante o último ano que mancharam bastante a imagem pública de Cruise e, pela primeira vez, puseram em questão seu poder em Hollywood. Entre esses eventos estão a constante promoção por porte do ator da Igreja da Cientologia, da qual faz parte; sua posição radical contra remédios antidepressivos, que o levou a criticar a atriz Brook Shields; e suas demonstrações infantis de amor pela noiva Katie Holmes, que incluíram episódios ridículos como quando ficou pulando loucamente no sofá da apresentadora Oprah Winfrey no ano passado. Cruise, de 44 anos, é considerado um dos maiores astros de Hollywood, embora seus últimos lançamentos não tenham apresentado orendimento que se esperava. Nos estúdios Paramount, ele estrelou filmes populares como a saga de "Missão: Impossível", "Top Gun", "Guerra dos Mundos" e "Colateral", entre outros. Na última década, seus lançamentos costumavam superar os US$ 200 milhões na bilheteria mundial. Este ano, ele liderou a lista dos mais poderosos em Hollywood elaborada pela revista "Forbes". Uma enquete do jornal "USA Today" elaborada em maio deste ano, porém, mostrou que Cruise perdeu 35% de popularidade por causa de seu comportamento público. A queda na popularidade foi percebida em "Missão: Impossível 3". A arrecadação, de US$ 133 milhões, ficou muito abaixo do que se esperava de um grande estréia de verão com um orçamento de US$ 150Milhões. O fim do acordo entre Paramount e a companhia de produção Wagnr/Cruise era esperado nos círculos de Hollywood. Já existiam boatos de que Redstone tinha antecipado seus planos a respeito.

Agencia Estado,

23 de agosto de 2006 | 02h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.