Parada gay deve reunir 100 mil na Paulista

As paradas gays cada vez aumentam mais em todo mundo. No próximo domingo, os homossexuais de São Paulo farão a sua na Av. Paulista. Segundo estimativa dos organizadores do evento, esperam-se em torno de 100 mil pessoas. "Aqui no Brasil estamos correndo atrás do prejuízo. São Paulo foi um dos últimos grandes centros do mundo a ter uma parada", conta André Fischer.Edson Cordeiro abre o evento às 14 horas cantando o Hino Nacional. O show de encerramento, feito também pelo cantor, acontece na Praça da República. A parada começa na Av. Paulista, na altura do número 900, em frente ao prédio da Gazeta.Também no dia 25, só que em Nova York, o Brazilian Rainbow Group promete arrasar na sofisticada 5ª Avenida, em Manhattan, no Gay Pride de lá. O BRG contará com sua tradicional bateria, ala de baianas, drags queens e muitas Carmens Mirandas. Esse ano, o tema da parada nova-yorquina é "Take Pride, Take Joy, Take Action", algo como "tenha orgulho, tenha alegria, tenha ação".O grande objetivo das paradas é mostrar para a sociedade que os homossexuais possuem uma comunidade organizada. Ela celebra o orgulho dos participantes de serem homossexuais de uma forma divertida e nada agressiva. Segundo João Silvério Trevisan, as paradas gays são necessárias para a comunidade GLS, principalmente no Brasil. "Infelizmente, a sociedade brasileira ainda trata os homossexuais como cidadãos de segunda categoria. Só quando acontecem fatos cruéis, como o assassinato do adestrador de cães no começo do ano por carecas, é que as pessoas percebem que o preconceito não é brincadeira", conta Trevisan. A primeira parada gay aconteceu em Nova York, no ano de 1969.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.