Para Woody Allen, Hollywood banirá terrorismo

O cineasta nova-iorquino Woody Allen afirmou hoje que os estúdios de Hollywood ficarão tão preocupados em não ultrajar a opinião pública que possivelmente não farão mais filmes sobre ataques terroristas. "Acho que haverá uma forte trepidação no cinema comercial sobre esse assunto. Tenho certeza de que as pessoas de Hollywood cujo principal objetivo com o cinema é fazer dinheiro, acreditarão que fazer qualquer referência à palavra seqüestro ou qualquer referência a algo violento ou até mesmo remotamente associado àquela terrível tragédia significará perder público", afirmou Allen a jornalistas no National Theatre da Grã-Bretanha, em Londres."Este será o único critério que poderá importar e então eles irão forçar seus serviçais a trabalharem para removerem essas coisas de seus filmes ou não fazerem filmes sobre este assunto" disse o cineasta, que explicou que não fará um filme sobre os ataques terroristas porque seu trabalho é centrado em comédias. "Outros cineastas poderiam oferecer uma visão artística e valiosa sobre a tragédia", opinou.Falando sobre sua própria carreira, Allen afirmou que sua grande ambição é fazer um grande filme. "Eu adoraria, mas não creio que isso acontecerá", disse. Sobre seus filmes, Allen disse: "Não gosto da maioria deles, sou muito crítico com meu trabalho".

Agencia Estado,

28 de setembro de 2001 | 18h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.