Para Sandra Corveloni, prêmio foi 'surpresa maravilhosa'

Em entrevista à Eldorado, atriz diz que achou que filme fosse 'ganhar pelo conjunto de atuação. Mas euzinha?'

Da Redação,

08 de maio de 2026 | 12h12

A vida da atriz de teatro Sandra Corveloni mudou completamente com apenas um telefonema. "Eu estava em casa, brincando com meu filho e estava desligada do festival. Então, a assessoria do filme me ligou, e eu levei um susto, não entendia nada, eles não falavam coisa com coisa". Sandra tinha acabado de ganhar o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cinema de Cannes por sua atuação em Linha de Passe, de Walter Salles e Daniela Thomas. "Quando eles me ligaram de novo, cinco minutos depois, eu escutei: a Daniela e o Walter estão recebendo o prêmio por você. Daí foi uma choradeira só", diz a atriz em entrevista à Rádio Eldorado nesta segunda-feira, 26. Veja também:Após 22 anos, Sandra quebra jejum do Brasil em CannesSandra Corveloni recebe prêmio de melhor atriz em Cannes'Entre Les Murs', de Cantet, ganha a Palma de Ouro em CannesGaleria com fotos da premiação do Festival de Cannes   Mais conhecida por seu trabalho como atriz de teatro no Grupo Tapa, dirigido por Eduardo Tolentino, Sandra afirma que não estava esperando que em seu primeiro longa já ganhasse um prêmio de repercussão mundial. "Eu estava torcendo pelo filme, para que ganhasse a Palma de Ouro de melhor filme. Sabia dos concorrentes de peso, mas estava na torcida. Achei que nós íamos ganhar pelo conjunto de atuação. Os atores têm o mesmo peso. Mas 'euzinha'? Foi uma surpresa maravilhosa".  Personagem Sobre sua personagem em Linha de Passe, a atriz contou que "Cleusa é uma empregada doméstica que tem alegria de viver. Ela tem quatro filhos, está grávida do quinto e não deixa a peteca cair, como tantas outras que vemos na vida real". Sandra acredita que Cleusa era justamente o que o festival estava buscando. A atriz disputava com estrelas como Angelina Jolie e Julianne Moore, que atuou em Blindness, de Fernando Meirelles. "E eu que sou tão fã da Julianne (risos). Mas acho que muitas coisas contribuíram para o prêmio. O filme, o momento, o elenco, a história. Não dá nem para falar se é melhor ou pior, naquele momento, o que o festival estava buscando era tudo aquilo, e também a Cleusa", disse. Emocionada, a atriz declarou que "uma coisa me deixa tranqüila. É tudo fruto de muito trabalho. Já estudei e ensaiei muito e já fiz muita coisa por esse Brasil. É um esforço, uma vontade grande de fazer o que eu faço".  Sobre sua futura agenda de trabalho, Sandra disse que estava trabalhando junto com Eduardo Tolentino, diretor do Tapa, na peça Amargo Siciliano, de Pirandello, e que ainda pretende fazer muita coisa este ano. A peça, da qual é co-diretora, está em cartaz no Viga Espaço Cênico, em São Paulo.  "Estou trabalhando normal, agora, no segundo semestre, teremos o lançamento do filme aqui e preciso me dedicar especialmente a isso. Uma coisa de cada vez na minha vida". Questionada sobre novos convites para fazer cinema, Sandra falou que até agora só conversou com jornalistas, "mas vamos com calma. Estou tentando arrumar um espaço na minha vida para falar com meu filho, meu marido e comer alguma coisa (risos)".

Tudo o que sabemos sobre:
Sandra CorveloniFestival de Cannes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.