Para Mickey Rourke, "Sin City" foi chance de voltar

"Não é meu tipo de filme, mas foi uma oportunidade para retomar minha carreira", garantiu em Madri o ator americano Mickey Rourke na apresentação de seu última filme Sin City.O protagonista de filmes como 9 e 1/2 Semanas de Amor, Chamas da Vingança e Era uma vez no México parece ter domesticado seu lado mais selvagem para relançar sua carreira cinematográfica, que - segundo disse - ele mesmo havia arruinado porque era um homem "desregrado".Em declarações à EFE, Rourke explicou que "há 13 ou 14 anos não era capaz de conseguir um trabalho", por isso "não estava em posição de escolher papéis".Agora, o ator de quase 50 anos e que abandonou algumas vezes sua carreira para se dedicar ao boxe, disse saber exatamente o que quer de seu futuro profissional."Vou mostrar minha força, mas de outra forma", disse Rourke em entrevista, que após Sin City filmou Domino, de Tony Scott, e atualmente trabalha em outra produção em Londres."Se há dez anos me dissessem que teria que vir aqui para promover um filme não o teria feito, agora sim, porque sei que é parte do meu trabalho", assegurou Rourke, acrescentando que "não está louco nem acabado".O ator explicou que agora percebe que arruinara sua carreira: "Antes era mais fácil para mim jogar a culpa nos outros, era mais jovem e pensava que nisto só importava a arte e a interpretação, não o via como um negócio, não soube entender o sistema".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.