J.P. Gandul/EFE
J.P. Gandul/EFE

Para Almodóvar, tema feminino vai ajudar 'Julieta' na corrida pelo Oscar

Filme baseado em obra de Alice Munro foi escolhido nesta quarta, 7, para representar a Espanha na premiação; veja o trailer

Redação, EFE

07 de setembro de 2016 | 14h08

Pedro Almodóvar, cujo filme Julieta foi escolhido nesta quarta-feira, 7, para representar a Espanha na 89.ª edição do Oscar, disse que se sente mais ‘animado’ do que nos anos 1980, quando concorreu pela primeira vez com Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos.

“Não vivo isso como um dejà-vu e não é menos excitante porque já passei por isso. Pelo contrário. Tudo o que os meus filmes me proporcionam neste momento eu vivo com mais paixão que antes, porque sempre temos medo de que seja a última vez”, disse o cineasta em coletiva de imprensa na Academia de Cinema, em Madri.

Almodóvar, que foi selecionado pela sexta vez para concorrer, estava acompanhado de seu irmão Agustín, produtor do filme, e de uma das protagonistas, a atriz espanhola Emma Suárez.

“A primeira reação foi de muitíssima alegria e de dar a notícia ao distribuidor americano para saiba que terá um montão de trabalho, disse o cineasta que já ganhou o Oscar de melhor filme de língua estrangeira em 2000, com Tudo Sobre Minha Mãe, e em 2003 pelo roteiro de Fale com Ela.

Julieta já estreou em 29 países e está previsto para chegar aos cinemas americanos em dezembro. Na opinião de Almodóvar, um dos fatores que contará a favor de seu filme é que ele retrata o universo feminino em um momento em que Hollywood aposta na diversidade.

“Hollywood está muito preocupado com a diversidade e com a presença de todos os temas, raças, personagens - e pela presença feminina. O tema é um dos fatores que mais se distinguem positivamente no filme, já que há poucas histórias femininas.”

Tudo o que sabemos sobre:
Pedro AlmodóvarPrêmio Oscar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.