Papel de viúva de jornalista testa limite de Angelina Jolie

Angelina Jolie nunca se escondeu de filmes com assuntos complexos, mas seu mais recente trabalho, A Mighty Heart, em que interpreta a viúva do jornalista Daniel Pearl, leva a musa até o limite da coragem."Não queríamos que fosse melodramático demais ou polido demais. Não queríamos que fosse um filme típico", disse Angelina à revista Entertainment Weekly, na edição especial que chega às bancas nesta sexta-feira, 20, antecipando os lançamentos do verão americano.Angelina Jolie, de 31 anos, interpreta Mariane Pearl em A Mighty Heart (Um Coração Poderoso, em tradução livre para o português), que estréia em 22 de junho nos Estados Unidos, mas será exibido antes do 60.º Festival de Cinema de Cannes, na França, em maio. O filme é inspirado no bem sucedido romance de Mariane sobre a busca pelo marido depois que ele foi seqüestrado no Paquistão, em 2002.Pearl foi decapitado e o vídeo da sua execução foi postado na internet. Grande parte do filme mostra a mulher tentando freneticamente encontrar e salvar seu marido.A produção é de Brad Pitt, companheiro de Angelina. A presença do casal provocou enorme alvoroço durante as filmagens no ano passado no Paquistão e na Índia. Em Mumbai, enquanto era feita uma cena numa escola, os seguranças da atriz foram acusados de impedir os pais de apanharem seus filhos - mas os guarda-costas alegaram que estavam tentando impedir fotógrafos de invadirem o local."Os paparazzi correram até o portão e causaram um caos. Não foi a produção do filme que causou o caos. Só fomos culpados por termos trazido os paparazzi", disse Angelina à revista.A direção de A Mighty Heart é do britânico Michael Winterbottom. Conhecido por um estilo próximo do documentário, ele incentiva a improvisação em cena. Angelina Jolie e Brad Pitt estão juntos desde as filmagens de Sr. e Sra. Smith (2005) e têm uma filha biológica, Shiloh Nouvel, de quase 1 ano, e três adotivos: o cambojano Maddox, de 5 anos, a etíope Zahara, de 2 anos, e o vietnamita Phax Thien, de 3 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.