Papel de Anne Hathaway atrai especulação antecipada de Oscar

O papel sombrio representado por AnneHathaway em "Rachel Getting Married", que fez sua estréia estasemana no Festival de Veneza, está gerando especulaçõesantecipadas quanto a um possível Oscar. Vários críticoselogiaram sua atuação, que difere de seus personagensanteriores, cômicos ou de contos de fadas. No drama familiar dirigido por Jonathan Demme, Hathaway éKym, uma dependente de drogas em processo de recuperação quedeixa um centro de reabilitação para assistir ao casamento desua irmã. Sua necessidade de atenção e suas observações cáusticasfazem as tensões familiares reprimidas vir à tona, obrigando-aa confrontar seu senso de culpa pela morte de seu irmão menor. "Anne Hathaway, em atuação merecedora de prêmios, confereum foco central claro à história", escreveu o HollywoodReporter, enquanto a publicação especializada rival Variety adescreveu como "frágil, irada, magnífica". Conhecida sobretudo por seus papéis de garota comum em"Diários da Princesa" e "O Diabo Veste Prada", ela disse àReuters na quinta-feira que ainda é cedo para pensar emprêmios. "Estamos no início de setembro. Se eu começasse a pensarnisso agora, não conseguiria passar pelo Natal", disse Hathawayem entrevista. "Estou felicíssima com este filme, independentemente de oque acontecer com ele. Mesmo que seja fracasso de bilheteria ouque nunca ganhe um prêmio, para mim é um sucesso", acrescentoua atriz de 25 anos. Hathaway disse que Kym é o papel mais complexo que ela járepresentou. Os críticos também elogiaram a performance breve, masintensa de Debra Winger no filme, no papel da mãe distante dafamília disfuncional. De acordo com a Screen Daily, Winger,três vezes indicada ao Oscar, tornou memorável seu pequenopapel coadjuvante. "'Rachel Getting Married' com certeza será candidato aprêmios nas principais categorias", escreveu a revista. A maioria dos críticos disse que o filme ajudou a elevar onível da programação um tanto quanto fraca de Veneza este ano,e o aparecimento de Anne Hathaway no tapete vermelhoacrescentou um toque bem-vindo de glamour de Hollywood. Os filmes anteriores de Jonathan Demme incluem "O Silênciodos Inocentes", de 1991, premiado com cinco Oscar, e o drama"Filadélfia", de 1993, sobre Aids.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.