Paparazzi terão de manter distância de DiCaprio em Israel

O feitiço virou contra o feiticeiro no caso de um grupo de fotógrafos cujo choque com a equipe de segurança do ator Leonardo DiCaprio em Jerusalém resultou na prisão de dois guarda-costas do ator pela polícia israelense. Os dois guarda-costas detidos para interrogatório após o incidente da segunda-feira, 12, foram liberados sem serem acusados de nada, mas vários dos paparazzi envolvidos na confusão receberam ordem de manter distância de DiCaprio e de sua namorada, a modelo israelense Bar Refaeli, informou o porta-voz do astro em Nova York, na terça-feira. Imagens granuladas que estão circulando na internet mostram fotógrafos cercando uma van branca que buscou DiCaprio e Bar quando eles saíram de um passeio particular pela Muralha Ocidental, o local mais sagrado do judaísmo, dentro da Cidade Velha de Jerusalém. "Os fotógrafos ficaram totalmente insanos. Eles chegaram a danificar a van", contou à Reuters o agente publicitário de DiCaprio, Shawn Sachs. Um porta-voz da polícia israelense, Micky Rosenfeld, disse na segunda-feira que dois dos seguranças de DiCaprio foram presos "depois de se envolverem numa briga" e que estavam sendo interrogados. De acordo com Sachs, eles foram libertados mais tarde, sem qualquer acusação, e as autoridades emitiram um mandado de restrição contra vários dos fotógrafos envolvidos no incidente. Leonardo DiCaprio chegou a Israel no início da semana para uma visita ao país que foi amplamente divulgada pela imprensa israelense. Ele protagonizou recentemente Os Infiltrados, de Martin Scorsese, eleito o melhor filme do Oscar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.