"Palíndromo" é premiado em Bruxelas

Palíndromo, o curta brasileiro dirigido por Philippe Barcinski e único filme latino-americano entre os 29 finalistas do 5.º Festival de Curta-metragem de Bruxelas, ganhou o prêmio Villa de Bruxelas-cultura urbana. O Festival terminou nesta segunda-feira. Um total de 15 países estavam representados entre os 29 curtas-metragens finalistas. A maior parte das produções era de origem francesa ou belga, mas havia filmes gregos, espanhóis, norte-americanos, canadenses, dinamarqueses e, claro, um brasileiro.O prêmio equivale a mil euros, em dinheiro, além da venda dos direitos de exibição de Palíndromo para a rede RTBF, a televisão pública belga-francesa. Trata-se do quarto filme de Barcinski e conta a história de um homem que pede sua casa. Barcinski também dirigiu A Escada (1996), A Grade (1997) e O Postal Branco (1998).No Brasil, Palíndromo recebeu os prêmios de melhor filme, direção e montagem no Festival de Gramado. Foi também premiado no Festival do Recife e considerado o melhor filme pela Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas no Festival do Rio BR 2001.No exterior, o curta de Barcisnki já havia sido selecionado para participar em 12 festivais internacionais. Sua estréia ocorreu em fevereiro, na na Mostra Panorama do Festival Internacional de Cinema de Berlim, mas até agora o filme não havia sido premiado.O prêmio de melhor curta-metragem, 2 mil euros em dinheiro, ficou para o francês Mathias Gokalp com Meio-tempo (Mi-temps), que conta a história de uma caixa de supermercado.O prêmio de obra-prima e melhor roteiro ficaram para o curta V.O. dirigido pela espanhola Antonia San Juan e escrito por Luis Miguel Segui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.