Outros Oscars

Melhor Quitute de avó CINESESC Pipoca todos têm (exceto o Reserva Cultural). Para inovar, a Cinemark empurra aqueles nuggets apelidados de ‘chicken popcorn’ e a UCI tenta nos convencer a comer nachos na sala de cinema. Mas quem traz opções interessantes é o bom e velho Cinesesc. Pão de tapioca? Broa de fubá? Bolinho de café com recheio de chocolate? Mais que bonbonnière, parece a cozinha da vovó. Além de saborosos, são práticos para comer durante a sessão. E a simpática atendente ainda sugere um mix das porções, que cai muito bem. Você também pode pedir um chocolate quente para acompanhar, sem perder o filme, no charmoso bar dentro da sala. - Melhor Sofá de casa CINE BOMBRIL Há quem ame e quem odeie as poltronas grandonas projetadas para a sala 1 do Cine Bombril, na reforma de 2005. Mas ninguém pode reclamar de falta de espaço. Entre uma fileira e outra, qualquer jogador de basquete consegue esticar as pernas tranqüilamente, sem ficar chutando o encosto da frente. Dos lados, também é possível se esparramar à vontade. Os braços bem largos (uns 15 centímetros, os maiores do circuito paulistano) impedem aquele incômodo duelo de cotovelos com o vizinho. O assento também é bem espaçoso. Tanto que os mais baixinhos, às vezes, reclamam. Acham grande demais. Os altões, por outro lado, agradecem. - Melhor Olhar atento PENHA Que os funcionários do Moviecom Penha são simpáticos nós já alardeamos nas edições passadas do Oscar das Salas de Cinema. Mas o treinamento da equipe parece que vai além de esticar sorrisos. Eles também estão com os olhos atentos. No dia da visita, o repórter precisou usar o terminal de auto-atendimento, que vende ingressos e produtos da bonbonnière. Quando percebeu que ele se atrapalhava um pouco, alguém logo apareceu para ajudar. Era uma das moças que andam vendendo pipoca e guloseimas. Além de detalhes como este, há sempre um funcionário solícito organizando as filas e a entrada em cada uma das salas. - Melhor Sala de estar RESERVA CULTURAL Quando a distribuidora Imovision anunciou que criaria um novo cinema no espaço do finado Gazetinha, no sótão da Fundação Cásper Líbero, houve quem desconfiasse. Além das quatro salas, a promessa era de um café (ou boulangerie, como eles preferem), restaurante, bar, espaço para exposições e livraria. Naquele espaço minguado do antigo cinema? Seria como organizar um home theater com uma TV de 29 polegadas na saleta de uma apartamento de 40 metros quadrados. Pois na abertura, em 2005, estava tudo lá, organizado de maneira inteligente. E a casa ainda promete outras novidades (confira na página 16). - Melhor Detalhe METRÔ ITAQUERA Não é necessário fazer estardalhaço para ganhar um Oscar do Guia. Primeiro cinema paulistano do grupo Cine Box, com sede na Espanha, o do shopping Metrô Itaquera não fez feio na avaliação. Sala grande e confortável, um bom multiplex. Mas o que chamou nossa atenção foi o inédito cabide instalado atrás das poltronas. Um detalhe tão pequeno quanto útil. As mulheres que acreditam que deixar a bolsa no chão traz azar não precisam mais ficar segurando as suas tralhas durante o filme. Basta pendurá-las. O bom espaço entre as fileiras também ajuda. Uma idéia tão simples que a gente não entende como ninguém havia pensado nisto antes. - Melhor Porta-cartaz PLAZA SUL Todo cinéfilo adora cartazes de filmes. O diretor francês François Truffaut mostra em ‘Os Incompreendidos’ (1959) que até gostava de roubar pôsteres da frente dos cinemas quando era criança. Pois no Playarte do Plaza Sul o mestre teria bastante dificuldade de aumentar sua coleção. É que os "cartazes" são, na verdade, monitores LCD supermodernos e vistosos. Além de mostrar o cartaz como a versão tradicional em papel, eles também podem exibir o trailer e o making of, por exemplo. São tão sutis que dispensariam os enormes banners que o cinema insiste em deixar espalhados, poluindo um pouco a decoração do espaçoso saguão. - Melhor Clima retrô CINE TAM No ano passado, o cinema do shopping Morumbi foi rebatizado de Cine TAM e suas salas ganharam nomes de destinos internacionais da companhia aérea. A mudança mais curiosa, porém, foi na área de espera. Não é muito ampla, mas é muito agradável. E o toque mais atraente é seu estilo retrô. Parece cenário de filme de ficção científica dos anos 60, com uma idéia de como seria o design dos móveis no futuro. Como no clássico ‘2001, uma Odisséia no Espaço’ ou no desenho dos Jetsons. As cadeiras esféricas são um charme. Falta apenas contratar atendentes-robôs - ainda que a gente prefira que eles continuem mesmo de carne e osso. - Melhor Minimostra GEMINI E L. LEMMERTZ O clássico Gemini e o esquecido Cine Arte Lilian Lemmertz com certeza não figuram entre os melhores cinemas da cidade. Principalmente o segundo precisa de vários reparos. Mas o público fiel parece não se importar. E é muito comum ver gente passando a tarde nestas salas, como se estivessem na Mostra de Cinema de São Paulo. Há boas razões para isso. Primeiro, o ingresso mais em conta. Em segundo lugar, como não são procurados como os cinemas de shopping, nunca têm fila. Mas o grande atrativo é a programação alternada. A cada sessão, um novo filme, em geral boas opções que já saíram de cartaz em outros cinemas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.