Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
AP
AP

Oscar tem volta de Mel Gibson e Scorcese de fora

Outros nomes foram ignorados pela Academia: Amy Adams, Annete Bening, Aaron Taylor-Johnson e Hugh Grant

Piya Sinha-Roy, Reuters

25 de janeiro de 2017 | 10h06

Mel Gibson voltou as boas com Hollywood, enquanto Amy Adams e Martin Scorcese ficaram de fora das indicações ao Oscar nesta terça-feira, 24, uma lista que trouxe algumas surpresas notáveis.

O musical romântico La La Land: Cantando Estações, o favorito para a premiação, que conta a história de dois artistas que se apaixonam em Los Angeles, lidera a corrida ao Oscar com 14 indicações, incluindo melhor ator, atriz, diretor e filme.

Entre as ausências mais notadas esteve o novo filme do cineasta vencedor do Oscar Scorcese, Silêncio, estrelado por Andrew Garfield. A história de dois missionários no Japão do século 17 ficou de fora em todas as principais categorias e só conseguiu uma indicação, para fotografia.

Garfield foi indicado para melhor ator pelo seu papel no drama de guerram Até o Último Homem, cujas seis indicações, incluindo melhor filme e melhor diretor para Gibson, representaram aparentemente uma acolhida de volta, uma década depois que uma crítica antissemita fez dele um rejeitado em Hollywood.

Nas categorias relativas à interpretação, a favorita Amy Adams não emplacou uma indicação de melhor atriz pelo seu papel na ficção científica A Chegada, que lhe rendeu elogios da crítica.

Depois dos anúncios, “No Amy Adams” (Sem Amy Adams, em tradução livre) começou a circular no Twitter, e usuários manifestaram decepção porque ela foi ignorada.

Também de fora da lista ficaram Annette Bening pelo seu papel como mãe solteira nos anos 1970 em 20th Century Women, e Taraji P. Henson pelo papel como matemática no sucesso das bilheterias Estrelas Além do Tempo.

Em compensação, a atriz francesa Isabelle Huppert foi indicada por Elle, e a irlandesa Ruth Negga foi reconhecida pelo papel em Loving

Entre os diretores, ficaram de fora Tom Ford, que fez o thriller Animais Noturnos, e o cineasta veterano Clint Eastwood, que fez Sully - O Herói do Rio Hudson, estrelado por Tom Hanks.

Aaron Taylor-Johnson, estrela de Animais Noturnos, que ganhou o Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante, não foi indicado ao Oscar, mas o colega de produção Michael Shannon foi lembrado na categoria. Hugh Grant, que atuou em Florence: Quem É Essa Mulher?, também ficou de fora.

O filme de super-herói Deadpool, com Ryan Reynolds, era considerado um azarão no Oscar, depois de receber indicações no Globo de Ouro e no prêmio do Sindicato dos Diretores (estreante),  mas não foi lembrado nesta terça.

(Reportagem adicional de Melissa Fares em Nova York)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.