AP
AP

Oscar tem volta de Mel Gibson e Scorcese de fora

Outros nomes foram ignorados pela Academia: Amy Adams, Annete Bening, Aaron Taylor-Johnson e Hugh Grant

Piya Sinha-Roy, Reuters

25 Janeiro 2017 | 10h06

Mel Gibson voltou as boas com Hollywood, enquanto Amy Adams e Martin Scorcese ficaram de fora das indicações ao Oscar nesta terça-feira, 24, uma lista que trouxe algumas surpresas notáveis.

O musical romântico La La Land: Cantando Estações, o favorito para a premiação, que conta a história de dois artistas que se apaixonam em Los Angeles, lidera a corrida ao Oscar com 14 indicações, incluindo melhor ator, atriz, diretor e filme.

Entre as ausências mais notadas esteve o novo filme do cineasta vencedor do Oscar Scorcese, Silêncio, estrelado por Andrew Garfield. A história de dois missionários no Japão do século 17 ficou de fora em todas as principais categorias e só conseguiu uma indicação, para fotografia.

Garfield foi indicado para melhor ator pelo seu papel no drama de guerram Até o Último Homem, cujas seis indicações, incluindo melhor filme e melhor diretor para Gibson, representaram aparentemente uma acolhida de volta, uma década depois que uma crítica antissemita fez dele um rejeitado em Hollywood.

Nas categorias relativas à interpretação, a favorita Amy Adams não emplacou uma indicação de melhor atriz pelo seu papel na ficção científica A Chegada, que lhe rendeu elogios da crítica.

Depois dos anúncios, “No Amy Adams” (Sem Amy Adams, em tradução livre) começou a circular no Twitter, e usuários manifestaram decepção porque ela foi ignorada.

Também de fora da lista ficaram Annette Bening pelo seu papel como mãe solteira nos anos 1970 em 20th Century Women, e Taraji P. Henson pelo papel como matemática no sucesso das bilheterias Estrelas Além do Tempo.

Em compensação, a atriz francesa Isabelle Huppert foi indicada por Elle, e a irlandesa Ruth Negga foi reconhecida pelo papel em Loving

Entre os diretores, ficaram de fora Tom Ford, que fez o thriller Animais Noturnos, e o cineasta veterano Clint Eastwood, que fez Sully - O Herói do Rio Hudson, estrelado por Tom Hanks.

Aaron Taylor-Johnson, estrela de Animais Noturnos, que ganhou o Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante, não foi indicado ao Oscar, mas o colega de produção Michael Shannon foi lembrado na categoria. Hugh Grant, que atuou em Florence: Quem É Essa Mulher?, também ficou de fora.

O filme de super-herói Deadpool, com Ryan Reynolds, era considerado um azarão no Oscar, depois de receber indicações no Globo de Ouro e no prêmio do Sindicato dos Diretores (estreante),  mas não foi lembrado nesta terça.

(Reportagem adicional de Melissa Fares em Nova York)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.