Matt Sayles/AP
Matt Sayles/AP

Oscar será adiado em um mês pelo segundo ano consecutivo devido à pandemia

A 94ª edição será realizada no dia 27 de março de 2022, um mês após a data prevista, e retornará ao seu local habitual, o Dolby Theatre, em Hollywood

Agências, AFP

27 de maio de 2021 | 20h01

LOS ANGELES, EUA - A cerimônia do Oscar será adiada em um mês pelo segundo ano consecutivo, informou nesta quinta-feira, 27, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos, que manterá a inclusão de filmes não exibidos em salas de cinema devido à pandemia.

A 94ª edição será realizada no dia 27 de março de 2022, um mês após a data prevista, e retornará ao seu local habitual, o Dolby Theatre, em Hollywood.

Depois que a audiência caiu no incomum Oscar deste ano, que aconteceu em uma estação de trem de Los Angeles por causa da covid-19, o adiamento evita que a cerimônia seja realizada muito perto da data de eventos como o Super Bowl e os Jogos Olímpicos de Inverno.

O maior evento do futebol americano acontecerá em Los Angeles no próximo ano, em 13 de fevereiro, enquanto a competição mundial de esportes de inverno será realizada em Pequim, de 4 a 20 de fevereiro.



Mas o impacto do coronavírus, que transformou a última temporada de premiações de Hollywood, com cinemas fechados, o atraso de dezenas de filmes importantes e muitas cerimônias obrigadas a serem feitas pela internet, continuará presente no próximo Oscar.

Tradicionalmente, a Academia exige pelo menos sete dias de exibição nos cinemas de Los Angeles para que os filmes sejam elegíveis ao principal prêmio da indústria. Com as salas fechadas, essas regras foram relaxadas no Oscar mais recente, no que foi amplamente visto como um impulso para filmes de plataformas de streaming como a Netflix e o Prime Video, da Amazon.

"Este ano, que ainda sofre o impacto da pandemia, os requisitos de elegibilidade para a 94ª edição dos Prêmios da Academia serão consistentes com as adições feitas para a 93ª temporada de prêmios", disse a Academia em um comunicado.

No entanto, com a reabertura de grande parte das salas de cinema nos Estados Unidos e a aceleração da produção cinematográfica, não se repetirá a decisão do ano passado de estender o prazo de lançamento dos filmes para que sejam indicados ao Oscar. 

Assim, os títulos que quiserem se candidatar aos prêmios do próximo ano devem estrear antes de 31 de dezembro.

O adiamento anunciado pela Academia pode levar outros grandes eventos de premiação de Hollywood a seguirem o exemplo, em um efeito cascata.

A NBC, porém, já anunciou que o tradicional Globo de Ouro, que abre a temporada, não vai ao ar em 2022 devido a uma disputa em andamento a respeito do histórico dos organizadores em termos de diversidade e transparência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.