Oscar de melhor filme não tem favoritos

Falta pouco mais de um mês para adivulgação da lista de indicações ao Oscar, mas até agora não háfrancos favoritos ao prêmio de melhor filme. Muito pelocontrário, o número de concorrentes com chances não pára decrescer. De filmes independentes como "The Hours" e "Longe doParaíso" a hits como "O Senhor dos Anéis: As Duas Torres" e"Casamento Grego", há candidatos para todos os gostos. Um dos títulos consagrados é "Chicago", que tem portrás a máquina de propaganda do estúdio nova-iorquino Miramax. Aadaptação de Rob Marshall para o musical da Broadway já foiconsiderada tão ousada quanto "Moulin Rouge ? Amor emVermelho", a extravagância da cerimônia do ano passado. Aomesmo tempo, por conta de uma certa nostalgia do gênero, o filmetem recebido elogios de um público mais velho, ou seja, a maiorparte dos votantes da Academia de Artes e CiênciasCinematográficas de Hollywood. Entre os independentes, os favoritos até agora são "TheHours", de Stephen Daldry, e "Longe do Paraíso", de ToddHaynes, mas ambos têm temáticas difíceis e fazem sucessorestrito apenas nos grandes centros urbanos. As produções, noentanto, tomaram conta das listas de melhores de 2002 publicadaspor associações de críticos no mês passado. O filme estreladopor Nicole Kidman, Meryl Streep e Julianne Moore é sobre trêsmulheres que sofrem de depressão e pensam em suicídio. A outraprodução é sobre uma dona de casa dos anos 50 que lida com ahipocrisia da classe média alta em relação ao racismo e aohomossexualismo. Épicos são sempre bem-vindos em Hollywood, mas "Ganguesde Nova York", com assinatura de Martin Scorsese, não tem feitosucesso de público, o que é sempre um mau sinal. A fita de trêshoras de duração pode surpreender, no entanto, sobretudo porquetambém tem por trás o poder de marketing da Miramax. Outro filmeestrelado por Leonardo DiCaprio, "Prenda-Me Se For Capaz", éum pouco "leve" demais para a premiação. A produção de StevenSpielberg é sobre um adolescente procurado pelo FBI porestelionato e fraude. Um dos títulos que têm ganhado espaço na mídia nasúltimas semanas é a estréia de Denzel Washington como diretor, odrama "Antwone Fisher". O filme tem vários elementos"oscarizáveis": foi dirigido por um ator favorito dainstituição, é um clássico de sucesso sobre a adversidade e temem si duas histórias de Cinderela. O filme tem roteiro dopróprio Fisher, um segurança da Sony Pictures, e foi estreladopelo novato Derek Luke, que trabalhava na loja de souvenirs doestúdio. "As Duas Torres" pode repetir o successo de "ASociedade do Anel", que teve 13 indicações ao Oscar no anopassado e venceu quatro categorias técnicas. O filme tem feitoainda mais sucesso do que o original (um faturamento quase 30%maior até agora) e deve conseguir uma bilheteria final pelomenos 10% maior do que a do filme de estréia da trilogia. A fitaoriginal arrecadou US$ 860 milhões em todo o mundo. PeterJackson também é um dos favoritos a uma indicação ao prêmio demelhor diretor. Comédias quase nunca conseguem destaque no Oscar, masuma surpresa pode ser "About Schmidt", estrelada pelo veteranoJack Nicholson. Este, por sinal, deve receber sua 13ª indicaçãoao prêmio. Se a academia estiver mesmo a fim de apostar em umhumor de vanguarda, outra opção é "Adaptação", com roteiro deCharlie Kaufman e direção de Spike Jonze. Para a comédia demaior sucesso de 2002, "Casamento Grego", o Oscar é umaincógnita. Por um lado, Hollywood pode querer premiar o sucessofenomenal da fita, que custou US$ 5 milhões e faturou mais deUS$ 230 milhões apenas no mercado americano. Por outro, umaarrecadação tão alta já é um prêmio e tanto para a produção deJoel Zwick. Ninguém nega, no entanto, que o projeto daroteirista e atriz Nia Vardalos foi um dos únicos fenômenosculturais genuínos a sair da terra do cinema nos últimos tempos.As comparação mais comum é com "Rocky, o Lutador", outrahistória de Cinderela que faturou milhões de dólares e ganhou oOscar de melhor filme, em 1977. A cerimônia do Oscar estámarcada para 23 de março, no Kodak Theater, em Hollywood.

Agencia Estado,

02 de janeiro de 2003 | 14h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.