Frederic J. Brown / AFP
Frederic J. Brown / AFP

Oscar de melhor filme 2019: crítico do 'Estado' comenta os indicados

Oito filmes concorrem ao Oscar de melhor filme: 'Bohemian Rhapsody', 'A Favorita', 'Green Book', 'Infiltrado na Klan', 'Nasce uma estrela', 'Pantera Negra', 'Roma' e 'Vice'; vencedor será revelado na cerimônia do Oscar no dia 24 de fevereiro

Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S.Paulo

06 Fevereiro 2019 | 20h41

A cerimônia do Oscar 2019 será no dia 24 de fevereiro e, até lá, muito vai se falar sobre os concorrentes. São oito os candidatos ao Oscar de melhor filme, o principal. Quem ganha?

O musical Nasce uma Estrela já foi favorito e caiu nas bolsas de apostas. Green Book - O Guia, com sua mensagem antirracista, cresceu. Para muitos, ninguém derrota Bohemian Rhapsody, a bela cinebiografia de Freddie Mercury. Mas há uma convergência em direção a Roma, de Alfonso Cuarón, que vem acumulando prêmio sobre prêmio. Cuarón é favoritíssimo como diretor, o que já é um indicador a mais. Mas, em tempos de lutas identitárias, o Oscar não ficaria mal com Infiltrado na Klan, um estupendo “joint” de Spike Lee. Surpresa, mas não impossível, seria o filme de super-heróis black, Pantera Negra, levar o prêmio principal. Ou ainda, o corrosivo Vice, sobre Dick Cheney, o mefistofélico vice-presidente de Bush Jr. A Favorita seria o toque de classe “british” caso chegasse lá, mas é muito improvável.

Façam suas apostas e esperem dia 24. O importante, por ora, é curtir a qualidade média muito boa dos concorrentes, com sua diversidade de temas, estilos e linguagens cinematográficas. Tem filme para todos os gostos. A estatueta é uma só.  

Oscar 2019: indicados na categoria melhor filme

Bohemian Rhapsody

Bryan Singer faz uma competente cinebiografia de Freddie Mercury. Vocalista e criador do Queen, Mercury é dono de uma trajetória de fato "de cinema". O trunfo maior é Rami Malek, no papel do roqueiro, favorito na corrida por melhor ator. Bohemian Rhapsody tem muita música e cativa o público com suas cenas no célebre concerto do Queen no Estádio de Wembley. 

 

A Favorita

Longa dirigido por Yorgos Lanthimos tem o maior número de indicações ao Oscar, ao lado de Roma - dez no total. A Favorita não é um filme histórico banal. Pelo contrário, mostra os bastidores da realeza britânica de maneira intensa, com o poderio real mesclado de fragilidade, na figura da rainha Anne (Olívia Colman), dividida entre a influência - e o amor - de duas damas da corte (Rachel Weisz e Emma Stone). 

 

Green Book - o Guia

Dirigido por Peter Farrelly, Green Book mostra o relacionamento entre um sofisticado músico de jazz negro e seu motorista, um tosco leão de chácara ítalo americano. Libelo contra o racismo e também obra de teor humanista, valoriza-se muito com as interpretações de Viggo Mortensen e Mahershala Ali nos papéis principais. 

 

Infiltrado na Klan

Um Spike Lee em estado de graça dirige Infiltrado na Klan, esta história inacreditável, embora baseada em fatos reais. Um policial negro (John David Washington) consegue infiltrar-se na organização racista Ku Klux Klan por meio de ligações telefônicas. Quando precisa se apresentar presencialmente, conta com um comparsa branco (Adam Driver) que se faz passar por ele. O filme tem ação, denúncia social, humor e consegue articular passado e presente de forma brilhante. Lee, dono de magnífica carreira cinematográfica, é indicado pela primeira vez ao Oscar de direção

 

Nasce uma Estrela

Quarta versão da história de Pigmalião e a protegida que acaba por superar seu criador. Dirigido e interpretado por Bradley Cooper, Nasce uma Estrela tem em Lady Gaga seu grande trunfo. Já foi considerado favorito ao Oscar principal, depois perdeu força. Mas é um musical e Hollywood adora musicais. E Gaga tem muitos fãs. 

 

​Pantera Negra

A saga de T'Challa em Wakanda, sociedade tecnológica cravada no meio da África, surgiu como uma novidade absoluta. Pantera Negra, dirigido (por Ryan Coogler) e interpretado por negros, é uma produção sintonizada com as questões identitárias contemporâneas. Esse senso histórico o coloca em relevo, a despeito de recair com muita frequência nos clichês típicos dos blockbusters de super heróis. 

 

 

Roma

Aconteça o que acontecer no dia do Oscar, Roma é já o filme sensação do ano. Centra-se nas memórias de infância do diretor mexicano Alfonso Cuarón no bairro da Cidade do México que dá nome ao filme. Na verdade, a protagonista é Cleo (Yalitza Aparicio), empregada da família e babá devotada às crianças. Filmada em preto e branco, essa grande produção da Netflix une espetáculo à reflexão. Conquistou indicações para dez categorias no Oscar

 

​Vice

O diretor Adam McKay faz uma inspirada comédia política de humor negro ao traçar a trajetória de Dick Cheney, o poderoso vice-presidente de George W. Bush. Christian Bale brilha no papel principal. O tom de Vice impressiona com seu tom especulativo, debochado e, ao mesmo tempo, respeitoso em relação aos fatos reais acontecidos durante o período, como os ataques da Al Qaeda nos Estados Unidos e a invasão do Iraque sob pretextos forjados. 

Mais conteúdo sobre:
Oscar [prêmio de cinema]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.