Netflix
Netflix

Oscar 2020: Veja os indicados ao prêmio de melhor documentário

Cerimônia de entrega da premiação acontece neste domingo

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2020 | 10h24

Produções de países distintos disputam o Oscar de melhor documentário, categoria na qual participa uma produção brasileira: Democracia em Vertigem, de Petra Costa.

Se for o escolhido, será a primeira vez que um longa do Brasil receberá a estatueta. Entre os concorrentes, estão o americano Indústria Americana, o macedônio Honeyland e os sírios For Sama e The Cave. A cerimônia de entrega do Oscar acontece neste domingo, dia 9. Veja sobre o que trata cada filme:

Indústria Americana

O filme de Steven Bognar, Julia Reichert e Jeff Reichert tem um trunfo na produção: o casal Michele e Barack Obama. O tema também importa muito aos americanos: o choque de cultura quando uma fábrica chinesa de vidro automotivo é instalada em um pequena cidade de Ohio, em 2010. Se os americanos festejam novos postos de trabalho e pagamento justo, os chineses reclamam que seus novos colegas são “lentos e falam demais”.

 

Honeyland

O longa de Ljubo Stefanov, Tamara Kotevska e Atanas Georgiev conquistou o feito de também ser indicado na categoria de filme internacional (o antigo estrangeiro). Trata-se de um belíssimo relato da apicultora Hatidze Muratova, que vive no norte da Macedônia. Ela utiliza métodos tradicionais na coleta do mel, o que garante a sobrevivência das abelhas. Seu trabalho é ameaçado com a chegada de uma família que, interessada no negócio mas com métodos abusivos, quase dizima o enxame. O filme foi exibido com sucesso na Mostra de Cinema de São Paulo do ano passado.

 

The Cave

Com produção de Feras Fayyad, Kirstine Barfod e Sigrid Dyekjær, o longa sírio se passa em um hospital encravado em uma caverna (daí o título, “cave”), na Síria. A protagonista é a pediatra Amani Ballor que, além de salvar vidas e administrar com rigor o hospital, precisa enfrentar o sentimento machista de moradores do local. Veterano, o diretor Feras Fayyad foi o primeiro cineasta sírio a ser indicado para um Oscar (em 2017, pelo documentário Last Men in Alepo). Ele quase não compareceu à cerimônia, depois que seu visto foi negado. Para este ano, ele já se encontra em Los Angeles.

 

For Sama

A cidade síria de Alepo é personagem do documentário da diretora Waad al-Kateab – durante cinco anos, ela registrou a rotina da cidade, que ficou sitiada e foi bombardeada pelo exército do ditador Bashar al-Assad e as forças russas. Neste período, Waad se casou, teve uma filha (Sama é seu nome), enquanto acompanhou, sempre com a câmera na mão, a caótica rotina de um hospital comandado pelo seu marido.

 

Democracia em Vertigem

A cineasta Petra Costa gravou, entre 2002 e 2018, eventos da política brasileira, desde a chegada de Lula ao poder, passando pelas jornadas de junho de 2013 e o impeachment de Dilma Rousseff até a eleição de Jair Bolsonaro. O documentário traz uma visão muito particular da cineasta, que recorre a metáforas como “abalo sísmico” e “tsunami” para explicar os eventos. Por conta disso, o filme continua dividindo opiniões.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.