Os Almodóvar deixam a academia espanhola de cinema

O cineasta espanhol Pedro Almodóvar abandonou a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha, que cada ano outorga o prêmio Goya, considerado o Oscar do cinema espanhol, por discordar do sistema de votação. O cineasta e seu irmão, o produtor Agustín Almodóvar, donos da produtora Deseo (Desejo), decidiram em conjunto por sua retirada definitiva e irreversível do prêmio.Em entrevista a uma emissora de TV, Augustin lamentou que os filmes produzidos por ele e dirigidos por seu irmão conquistem amplo reconhecimento internacional, sem um apoio equivalente em seu país onde, pelo contrário, eles chegam a se sentir marginalizados. Discordou do sistema de votação do prêmio Goya, lembrando que A Lei do Desejo, de 1986, não recebeu nenhuma indicação ao Goya e que o último filme de seu irmão, A Má Educação, que conquistou numerosos prêmios no exterior, não ganhou em nenhuma das quatro categorias a que aspirava, enquanto Mar Adentro, de Alejandro Amenabar ganhou 14 Goyas.Os irmãos Almodóvar disseram que não estão dispostos a viver fora da Espanha, por ser o país "onde Pedro se inspira, onde temos amigos e colaboradores", apesar de saberem que seriam muito bem acolhidos em países como França, Itália e Estados Unidos.Segundo Augustín, o sistema de votação do Goya é similar ao do Oscar, mas a diferença é o número de votantes, que chegam a seis mil na Academia de Hollywood e não atingem mil votantes na da Espanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.