Oliver Stone denuncia "militarismo rasteiro" de americanos

O diretor norte-americano Oliver Stonedenunciou o "militarismo rasteiro" que parece estar arraigado nomodo de pensar de seus compatriotas, segundo explicou em entrevista publicada neste domingo no jornal The Sunday Times."Voltamos a cair nesse militarismo rasteiro. Basta perceber aquantidade de invasões que aconteceram nos últimos anos", afirma. "No dia em que Nascido em Quatro de Julho estreou (em 1989), invadimos o Panamá. E isso nos arruinou", disse Stone, que finalizou recentemente seu último filme, World Trade Center, baseado nos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 contra os EstadosUnidos. Stone falou ainda sobre outro filme de guerra, O Resgate doSoldado Ryan, do diretor Steven Spielberg. "É um grande filme, mas que promovia a idéia de que éramosmaiores do que todos. Isso deu origem à operação Shock and Awe"("Comoção e Pavor", como ficou conhecida a invasão do Iraque). "Gostei muito de Falcão Negro em Perigo (de Ridley Scott,2001), mas esse é um filme que não poderia ter sido feito sem aaprovação do Pentágono. Os intérpretes estavam tão perfeitamentetreinados que atuavam como robôs em combate", observa. De acordo com Stone, este filme foi o precursor da segundaGuerra do Iraque. "Era como se tivesse sido produzida, finalmente, a fusão entre entretenimento e guerra", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.