Oliver Stone critica Israel e vice-versa

O diretor de cinema americano Oliver Stone criticou o governo de Israel em entrevista à revista Variety. "Israel deve se retirar da Cisjordânia", disse. "Sou contra a violência e contra os terroristas suicidas porque eles matam inocentes, mas eu os entendo."Stone, que costuma se alinhar com posições de esquerda, recebe críticas antecipadas em Israel por causa do documentário que está realizando sobre o líder palestino Yasser Arafat. "Se é fiel à realidade como foram (os filmes) ´JFK e ´Nixon´, temos motivo para nos preocupar", escreveu o jornal Jerusalem Post. Embora Stone tenha dito ao colunista Army Archerd, da Variety, que não é "nem pró-israelense, nem pró-palestino", é improvável que alguém acredite nisso em Israel.Também na Variety, cerca de 60 profissionais judeus da indústria cinematográfica publicaram anúncio de uma página para expressar apoio incondicional ao governo israelense. É a primeira vez que algum setor da indústria de entretenimento se manifesta a favor de Israel desde o início da Intifada. Mesmo assim, nenhum dos signatários está entre estrelas do primeiro escalão. Em abril, um editorial do Jerusalem Post tratou do assunto. "Onde estão Steven Spielberg, Barbra Streisand e Philip Roth?", perguntava o texto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.