Francois Mori/AP
Francois Mori/AP

Oito anos depois, Brasil volta a Cannes com 'Aquarius' novo filme de Kleber Mendonça

Entre os 20 selecionados apresentados em Paris estão obras de Olivier Assayas, Sean Penn, Paul Verhoeven e Pedro Almodovar

Andrei Netto - CORRESPONDENTE, O Estado de S. Paulo

14 de abril de 2016 | 17h23

PARIS - Oito anos depois de sua última indicação, com Walter Salles e Daniela Thomas, o Brasil voltará em 2016 a ter um filme na disputa pela Palma de Ouro do Festival de Cannes. O anúncio oficial das 20 obras selecionadas foi feito nesta quinta-feira, 14, em Paris, pelo diretor-geral do festival, Thierry Frémaux, e por seu presidente, Pierre Lescure. Entre obras de  Pedro Almodovar, Olivier Assayas, Sean Penn e Jim Jarmusch, Xavier Daon e Paul Verhoeven, estará Aquarius, do diretor brasileiro Kleber Mendonça, autor de "O som ao redor" (2012).

A seleção apresentada por Frémaux e Lescure é mais internacional e menos "franco-francesa" do que a feita em 2015. Em meio a 1,8 mil pré-candidatos, foram destacados 49 filmes - considerando todas as competições e mostras - de 28 países. O festival será aberto pelo novo filme de Woody Allen, Café Society, protagonizado por Kristen Stewart e Jesse Eisenberg. Entre os 20 que concorrem, "Aquarius" e Mendonça são os representantes da América Latina e marcam o retorno brasileiro ao evento, ausente desde "Linha de Passe", de Salles e Daniela Thomas, em 2008.

Mas a hegemonia no número de obras que disputarão a Palma de Ouro, que no ano passado ficou na mão de diretores franceses, nesse ano será compartilhada entre dois países: França e Estados Unidos. Entre os franceses, estarão "Personal Shopper", com Kristen Stewart, novo longa de Olivier Assayas, autor de Sils Maria; "Rester Vertical", de Alain Guiraudie; "Mal de Pierres", de Nicole Garcia - com Marion Cotillard; e "Ma Loute", de Bruno Dumont, com Fabrice Luchini e Juliette Binoche.

Os três filmes americanos indicados foram "The Last Face", de Sean Penn, tem Charlize Theron e Javier Bardem;  "Paterson", de Jim Jarmusch, com Adam Driver; e "Loving" de Jeff Nichols, autor de "Mud", em 2012. Entre os demais destaques, estão o novo longa de Paul Verhoeven, "Elle", com Isabelle Huppert; a nova obra do jovem canadense Xavier Dolan, "Juste la fin du monde", outra vez com Marion Cotillard, mas também com Léa Seydoux e Vincent Cassel; "La Fille Inconnue", dos irmãos Dardenne; e "Julieta", de Pedro Almodovar. Envolvido na polêmica dos Panama Papers, o espanhol cancelou a turnê de divulgação de seu longa, mas divulgou uma nota oficial para agradecer o reconhecimento. "Os títulos e os autores selecionados anunciam uma grande edição. Cannes continua a celebrar o cinema autoral", afirmou.

A 69ª edição do Festival de Cannes traz ainda filmes da Dinamarca, do Reino Unido, da Romênia, Alemanha e Coreia do Sul, mas desta vez nenhum da Rússia, nem da África, tampouco do mundo árabe. Outra crítica potencial à seleção é o pequeno número de diretoras - apenas duas - entre os finalistas.

Rol de estrelas. Em um ano marcado por tensões sociais na França, a apresentação teve um protesto de trabalhadores da área cultural contra a reforma do mercado de trabalho proposta pelo governo socialista de François Hollande, mas nada sobre uma preocupação que envolve os bastidores do evento: o risco de atentados terroristas durante o festival, que mobiliza as forças de ordem e os serviços de inteligência do país. Nos discursos de Frémaux e Lescure, os problemas foram deixados de lado em nome do glamour de Cannes, ressaltando pela presença em massa de estrelas internacionais. Estarão no sul da França entre 11 e 22 de maio nomes como Steven Spielberg, Jodie Foster, Julia Roberts, George Clooney, Russell Crowe, entre tantos outros que reforçarão a imagem de Cannes. "Entre os grandes ingredientes que fazem ao mesmo tempo a identidade de Cannes, seu sucesso, mas também sua solidez, estão as estrelas", disse Frémaux. "O tapete vermelho, o glamour, as escadarias fazem parte dos códigos que fazem de Cannes o maior festival do mundo."

CONCORRENTES

Toni Erdmann, Maren Ade 

Julieta, Pedro Almodóvar 

American Honey, Andrea Arnold

La Fille Inconnue, Jean-Pierre e Luc Dardenne

Personal Shopper, Olivier Assayas 

Juste la fin du monde, Xavier Dolan 

Paterson, Jim Jarmusch 

Rester vertical, Alain Guiraudie 

Aquarius, Kleber Mendonça Filho 

Mal de Pierres, Nicole Garcia 

I, Daniel Blake, Ken Loach

Ma’ Rosa, Brillante Mendoza 

Bacalaureat, Cristian Mungiu 

Loving, Jeff Nichols 

Agassi, Park Chan-Wook 

The Last Face, Sean Penn 

Sieranevada, Cristi Puiu 

Elle, Paul Verhoeven 

The Neon Demon, Nicolas Winding Refn 

Ma Loute, Bruno Dumont 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.