Objetos pessoais de Marilyn Monroe serão leiloados

Mais de 200 objetos pessoais e profissionais do espólio de Marilyn Monroe serão levados a leilão em junho. Guardados por 43 anos, os itens incluem os documentos do divórcio da atriz de seu marido Joe DiMaggio, sua agenda pessoal de telefones e uma pintura à aquarela original que ela fez e dedicou ao presidente John Kennedy no aniversário dele. A atriz morreu em agosto de 1962 antes de poder entregar o presente, o desenho de uma rosa.O leilão será realizado pela Julien´s Auctions of Los Angeles/New York, no Barclay Butera em Los Angeles, em 4 de junho. Os itens serão expostos de 31 de maio a 3 de junho.Os objetos em leilão incluem o formulário de 1956 que Marilyn enviou à corte de Nova York para mudar seu nome de Norma Jean Mortenson para Marilyn Monroe e o vestido cinza perolado que usou no longa de 1960 Adorável Pecadora. "Esta é a primeira vez que muitos destes itens serão vistos pelo público, incluindo uma grande variedade de roupas de todos os estilistas que ela gostava", disse Darren Julien, presidente da Julien´s Auctions, em nota. "A agenda pessoal dela contém centenas de nomes e números de grandes celebridades de Hollywood, como Frank Sinatra, Henry Fonda, Jane Russell e até os ex-maridos Joe DiMaggio e Arthur Miller", disse Julien.Marilyn, que morreu aos 36 anos de uma overdose de drogas, foi casada com DiMaggio por 21 meses. Eles se separaram em 1955. Mais tarde ela se casou com James Dougherty, e, finalmente, com dramaturgo Arthur Miller.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.