?O Verão de Sam? sai em vídeo

O Verão de Sam passa por ser um dos filmes mais polêmicos de Spike Lee. É a história de um serial killer que atacava casais em Nova York durante o insuportável verão de 1977. Matava, sempre com uma pistola calibre 44, e depois mandava cartas inspiradas ao The New York Times explicando seus motivos - em linguagem cifrada e alegórica, embora não despida de encanto. Filme polêmico? Sim, em primeiro lugar, porque assinala o afastamento de um cineasta, identificado à causa dos negros, de sua temática preferencial. Segundo porque O Verão de Sam é tudo, menos uma convencional história de um matador em série.A história de David Berkowitz, o assassino, é filtrada pelo olhar de um casal problemático, Mira Sorvino e John Leguizamo. Eles fazem parte da comunidade ítalo-americana de Nova York, esta sim, impiedosamente retratada por Lee. Nada há, nessa pintura hard, da folclorização de temas mafiosos, ou histórias edificantes de imigrantes, que chegam mão na frente outra atrás e vencem na vida. Lee prefere abordar os ítalo-americanos no estrato intolerante e mesquinho da pequena burguesia.São donos ou empregados de cantinas que se acotovelam com pequenos marginais. Leguizamo freqüenta uns e outros. Priápico, passa a mulher para trás o tempo todo, mas sente o que faz como pecado. Procura recuperar-se, mas o instinto é mais forte. Anda com um grupo de marginais preconceituosos. Um dos membros da turma vira punk e exibe-se em uma boate de sexo explícito. Acaba por despertar suspeitas. Acham que ele é o serial killer. A necessidade de eleger bodes expiatórios é radiografada secamente.Entende-se que a comunidade ítalo-americana tenha ficado de mal com Spike Lee. O que ele mostra na tela nada tem de edificante. No entanto, as críticas a ele talvez não tenham sido muito bem encaminhadas. Ele toma um caso pontual, o do assassino filtra-o por alguns personagens e uma comunidade específica, mas seu alvo é Nova York, a cidade imensa. Como todas, é encanto e pavor, sedução e paranóia. Por isso, o apresentador de TV, que narra o caso, fala dela como a cidade onde viveu e fez toda a sua carreira, a cidade que ele ama e odeia. Não é psicanálise barata, reproduz a sensação de quem mora em uma metrópole explosiva. Lee leva esse feeling para a tela.?O Verão de Sam?. EUA, 1999. Dir. de Spike Lee, com Mira Sorvino. Europa Filmes

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.