O último sonho de Heath Ledger

‘O Mundo Imaginário de Dr. Parnassus’ apostou na fantasia depois da morte do ator, em 2008

Fernanda Brambilla, Jornal da Tarde

30 de outubro de 2009 | 11h50

A grande expectativa gerada pela imprensa cinematográfica internacional por O Mundo Imaginário de Dr. Parnassus, se refere ao fato de ser o último trabalho do ator Heath Ledger (famoso pelo papel do Curinga em Batman - O Cavaleiro das Trevas, e morto em 2008 aos 28 anos por abuso de remédios. Mas o melhor do novo filme de Terry Gilliam Monty Python e Os 12 Macacos, que assina roteiro e direção, são as cenas de beleza impressionante, em que o mergulho no mundo da fantasia quase se interpõe à memória prestada a Ledger.

 

A primeira impressão é a de estar diante de uma pintura surrealista. A história tem mesmo um quê de sonho: o universo fantástico se esconde atrás de um velho espelho, que promete realizar qualquer desejo do subconsciente.

 

Doutor Parnassus (Christopher Plummer) é um velho mágico no comando de um teatro mambembe decadente, que procura público em troca de alguns trocados pelas ruas da Londres dos dias atuais. Mas a miséria é questão pequena para Parnassus: em um pacto perdido para o diabo (Tom Waits), o velho conquistou o amor de sua vida e a imortalidade, mas prometeu em troca a mão de sua filha, a bela Valentina (Lily Cole), assim que ela completasse 16 anos de idade.

 

Cheio de artimanhas, o diabo prefere uma nova aposta a recolher seu prêmio, e propõe uma disputa por almas. O vencedor fica com a moça. Só então é que a trupe de Parnassus encontra o moribundo desmemoriado Tony (Heath Ledger), pendurado em uma ponte com uma corda presa ao pescoço. A salvo, o misterioso homem se junta ao grupo e logo ganha a confiança de Parnassus.

 

Com Tony, o show faz sucesso levando a clientela a desfrutar de momentos mágicos dentro do espelho, onde todos os sonhos se realizam. O carisma e o talento nato de Tony encantam Valentina, que se apaixona pelo desconhecido. Tony, por sua vez, decide ajudar o velho mágico a salvar a filha do diabo com uma ideia inescrupulosa, mas eficiente. Uma vez dentro do espelho, ele captura uma a uma as almas das clientes que se perdem dentro do espelho, nos delírios de seus pecados particulares.

 

A alta dose de fantasia parece tentar enganar o espectador, conforme o personagem de Heath Ledger passa por transformações. Dentro do espelho materializador de sonhos, Tony ganha outros rostos – primeiro, o do ator Johnny Depp; depois, o do galã Jude Law, depois, o de Colin Farrell. Cada participação especial dos astros dá novo fôlego ao filme, e foi a solução encontrada por Gilliam para conseguir finalizar a produção. Após a morte de Heath Ledger, as filmagens foram interrompidas por alguns meses para a procura de um substituto para o ator. Em vez de um, entraram três.

 

ONDE VER

Sábado, no HSBC Belas Artes 2, às 23h30. No domingo, no Cinemark Shopping Cidade Jardim, às 19h. Na terça-feira (03/11), no Unibanco Arteplex 1, às 21h30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.