Jotapê
Jotapê

O sonho do cinema no Mirante

Financiamento coletivo tenta criar um cinema no Mirante 9 de Julho

Cássia Miranda, Especial para o Estado

10 Outubro 2017 | 18h03

Fundir o cinema com o centro de São Paulo e oferecer gratuitamente uma programação que coloque a produção nacional como protagonista. Em 30 dias essa proposta pode se tornar realidade através do projeto de financiamento coletivo do Cine Mirante, que pretende criar um cinema permanente e a céu aberto, com capacidade para receber 200 pessoas por sessão nas escadarias do Mirante 9 de Julho.

Idealizado por Facundo Guerra, empresário famoso por ressignificar espaços da cidade, o financiamento busca arrecadar R$ 257 mil. O valor é para cobrir custos da tela, estrutura, sonorização e projetor além das recompensas aos apoiadores e a taxa cobrada pela plataforma Catarse. Nos primeiros 20 dias o projeto foi apoiado por 122 pessoas e atingiu 4% da meta.

Trata-se de uma campanha tudo-ou-nada, onde os realizadores só recebem os recursos arrecadados se o valor proposto atingir ou ultrapassar a meta até a data final, nove de novembro. "Optamos pelo modelo de financiamento coletivo para que desde o início esse seja um espaço colaborativo.Queremos que esse seja um cinema da cidade e de todos", diz a produtora do Cine Mirante, Renata Ávila.

Se sair do papel, o Cine Mirante terá duas sessões por semana e quatro festivais ao longo do ano. A estreia seria ainda em 2017, em dezembro, com filmes que têm São Paulo como cenário. “Queremos destacar os realizadores brasileiros, aqueles que não ficam muito tempo em cartaz, os independentes, os de realizadores que não têm tela”, afirma Renata.

Parte da programação será escolhida através de um conselho. A outra será eleita por voto na página do Cine Mirante. O objetivo é dar espaço a realizadores que não teriam oportunidade de exibir as produções nos cinemas tradicionais. Em torno de 10 filmes já foram projetados nas escadarias do mirante, o primeiro deles foi São Paulo, Sociedade Anônima. 

“Quando vimos a 9 de Julho como pano de fundo e a escadaria como um espaço de convivência, que poderia ser reconfigurada com baixo custo para as pessoas poderem sentar, achamos que seria uma boa ideia resgatar simbolicamente o Mirante. Queremos ter ali um cinema como instrumento de sociabilidade”, conta Facundo Guerra.

O MIRANTE

Um antigo viaduto abandonado, localizado em endereço nobre da cidade de São Paulo, que, em 2015 foi restaurado e transformado em espaço multicultural. O ambiente abriga exposições, feiras, café e restaurante.

Endereço: R. Carlos Comenale, s/n - Bela Vista, São Paulo 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.