"O Sexto Sentido" repete sucesso nas locadoras

Mal saiu em vídeo e O Sexto Sentido já disparou na preferência do público e encabeça a lista do InformEstado com os mais retirados nas locadoras. Outra coisa não se poderia esperar do filme que fez mais espectadores no Brasil, no ano passado - mais de 4 milhões, apenas um quarto das platéias que consumiram Titanic em 1998 mas, de qualquer maneira, um número espetacular. Sendo O Sexto Sentido o produto que é, com um desfecho de impacto que muda toda a perspectiva da trama, nada mais oportuno do que ver o filme em vídeo. Com a tecla rewind, o espectador pode voltar atrás quantas vezes quiser, para conferir se não há furos no roteiro (o que pode ser conferido, por exemplo, com a disposição dos atores e personagens em cena, quem fala com quem).Logo na seqüência surgiu A Bruxa de Blair, que também está disponível em vídeo e DVD. Dois filmes que redimensionam os caminhos do sobrenatural (o primeiro) e do terror (o segundo), realizados por diretores estreantes - M. Night Shyamalanm, no caso de O Sexto Sentido, e Daniel Myrik e Eduardo Sanchez, na Bruxa. Esses filmes tornaram-se objetos de culto. Propõem uma estranha interatividade, que leva os espectadores a vê-los repetidas vezes, o primeiro pelo mistério do seu desfecho (mas não só por isso), o segundo pelo caráter propositalmente fake, que deve levar o público a se questionar sobre os limites do real.A prestigiada revista Cahiers du Cinéma acha que filmes como esses mostram que se está passando algo de novo no cinema americano atual. E Cahiers gosta particularmente de O Sexto Sentido. Destaca o tom estranhamente fúnebre e opiomaníaco da narrativa, alguma coisa entre Lovecraft e Henry James, cujo resultado é uma espécie de efeito hipnótico sobre as platéias. Cahiers acha que o mistério desse filme não está só na revelação do desfecho, mas também na reminiscência melancólica da infância feita por Shyamalanm, com seus fantasmas e a atmosfera velada, como se a narrativa de O Sexto Sentido fosse atravessada pelos murmúrios das igrejas ou pelos segredos que são sussurrados ao ouvido.Filme adolescente e refinado, O Sexto Sentido opera no seu público um efeito devastador. As pessoas não falam dele, querem vê-lo de novo, como se a decifração do mistério pudesse vir ao fim e ao cabo dessa experiência sempre renovada. O sucesso do filme em vídeo confirma que se trata, evidentemente, de um fenômeno que vai além dos truques publicitários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.