"O Novato" traz Al Pacino como instrutor da CIA

Quase todo ambientado nasinstalações da CIA, O Novato caminha no terreno do suspense.Não se presta a grandes reflexões políticas, como seria de seesperar do cineasta australiano Roger Donaldson e do atualcenário mundial. Diretor de thrillers políticos como o bom SemSaída e o apenas razoável Treze Dias Que Abalaram o Mundo,Donaldson não toca em temas intrinsecamente ligados a esse tipode cenário. Passa ao largo, por exemplo, do aumento do temoramericano contra inimigos externos, do surgimento dosneoconservadores e do movimento de ampliar ainda mais o domíniodo país no restante do mundo. Al Pacino divide o destaque nos créditos com ColinFarrell, o jovem ator que está gozando seus 15 minutos desucesso em Hollywood como o sucessor de algum outro grande astrodo passado. Farrell é o novato do título. Pacino faz o papel doinstrutor, um ex-agente especial que ganha a vida formando novosrecrutas. Existe uma simbologia nessa relação entre os personagensde Farrell e Pacino, do filho abandonado que procura a todocusto resgatar a figura do pai. Mais adiante se verá que, alémde óbvia, a simbologia é inútil e não acrescenta nada ànarração. Completando o trio protagonista, há ainda BridgetMoynaham, intérprete da impetuosa Layla, inevitável parromântico do novato Farrell. Alta, esguia, de traços finos edelicados, fica difícil imaginá-la manejando uma pistolaautomática em situações de perigo. De qualquer maneira, pode-sedizer que sua participação torna a projeção menos enfadonha. O Novato está dividido basicamente em dois grandesatos. No primeiro, apresentam-se os personagens, que passam paraa fase de treinamento. No segundo, após uma reviravolta, osagentes começam a trabalhar. A trama de suspense gira em tornoda premissa, mais do que batida, de que na CIA nada é o queparece. E então tudo parece previsível. Donaldson faz referências a Sem Saída, estrelado porKevin Costner quando as bilheterias lhe davam algumacredibilidade. Na época, a moribunda guerra fria justificava apremissa do inimigo interior e dava atualidade ao filme. Aqui, oinimigo invisível não se justifica e nada o torna atual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.