O mito de Che Guevara revive no cinema

O guerrilheiro argentino Ernesto Guevara, o Che, figura icônica da esquerda latino-americana, chega com força aos cinemas. Enquanto o jovem mexicano Gael García Bernal, de Amores Perros e E Sua Mãe também, encarna o Che de Walter Salles, em Os Diários da Motocicleta, o portorriquenho Benicio del Toro, Oscar de ator coadjuvante por Traffic, é confirmado no elenco de (título provisório) Camisa Blanca, de Terrence Malick.O filme de Malick, o mesmo de Cinzas no Paraíso, será todo rodado na Bolívia, em 2004, ao custo de US$ 50 milhões. É a primeira superprodução filmada no País. Benicio viverá o Che adulto, já um mito. O filme vai se concentrar na derradeira empresa de Che, a malsucedida guerrilha na selva boliviana, onde seria capturado e executado pelo exército do país, aos 39 anos.Com Camisa Blanca, Malick volta à Bolívia 37 anos após seguir os passos do próprio Che, como jornalista correspondente. A morte do líder guerrilheiro impressionou de tal forma o jovem Malick, então com 24 anos, que ele mal pôde cumprir o pedido da revista Teh New Yorker, que havia encomendado um perfil de Che.Já Bernal viverá o jovem Che, estudante de medicina. Com Os Diários da Motocicleta, o diretor brasileiro focaliza sua viagem pela América Latina, ao lado do amigo Alberto Granado (papel de Rodrigo de la Serna, parente de Che). De moto, como indica o título, os dois argentinos viajaram toda a Améria hispânica. O próprio Che não deixou muitos registros da viagem, e o filme é baseado nas memórias do amigo, reunidas no livro Primeiras Viagens. A estréia está prevista para novembro, na Argentina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.