Belas Artes à la Carte
Belas Artes à la Carte

O melhor das novidades do streaming para agradar os cinéfilos

Com o fim da Mostra Internacional de Cinema, ainda há muito para se explorar pelas plataformas digitais

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2020 | 03h00

Com a Mostra chegando ao fim, os lançamentos em salas e no streaming voltam a comandar o interesse dos cinéfilos. Não faltam novidades. Dá para começar com um clássico checo e chegar a um elogiado suspense espanhol, e isso incursionando por serviços de streaming além de Netflix e Amazon. 

Trens Estreitamente Vigiados

Nos anos 1960, e até o fim da chamada “primavera de Praga”, o cinema checo foi um dos melhores e mais inovadores do mundo. Em 1965, Ján Kádar ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro por A Pequena Loja da Rua Principal. Anos depois, a antiga Checoslováquia levou o prêmio da Academia com esse longa de Jiri Menzel. Quase no final da 2ª Guerra o jovem Milos começa a trabalhar como controlador de tráfego numa estação ferroviária. Ele não apenas aprende o ofício como apaixona-se. E ainda tem de tomar partido, integrando a resistência contra o nazismo. Belas Artes a La Carte. 

In My Room

A história de um homem que chega aos 40 anos e se sente perdido. Nada parece dar certo, nada faz sentido. E é nesse momento que ele acorda um dia para descobrir que está sozinho no mundo. Com direção do alemão Ulrich Kohler, o longa que integrou a seleção da mostra Un Certain Regard em Cannes é sobre um homem que precisa voltar a acreditar nele mesmo. MUBI. 

Círculo Cromático

Alex Ross Perry dirige e interpreta a história do garoto forçado a acompanhar a irmã numa viagem de carro, depois que ela termina com o namorado. Os dois brigam feito cão e gato e se envolvem em confusões na estrada. Se o filme anterior, In My Room, é sobre um homem que precisa confiar nele, esse é sobre a necessidade de confiar no outro. MUBI. 

Rapaz em Amarelo

Paulo Azevedo trabalha numa firma de advocacia. Como se trata de atração de uma plataforma formada por um coletivo LGBT para entretenimento de pessoas LGBT, você pode imaginar o que ocorre quando surge esse novo funcionário. A produção é brasileira, com direção e roteiro de Lucas Hossoe. LGBTFlix

Pecados Antigos, Longas Sombras

Detentor de 60 prêmios, esse longa espanhol de Alberto Rodriguez se passa na Andaluzia, em 1980. Uma nova era está começando na Espanha, que acaba de erradicar o franquismo, e é nesse quadro que uma dupla de policiais chega à região para investigar o desaparecimento de duas garotas. A investigação desenterra velhos segredos, os tais pecados antigos do título. Tem cara de um filme político, mas você vai ver. O importante é o suspense. Belas Artes a La Carte.

É JORNALISTA E CRÍTICO DO ‘ESTADÃO’, AUTOR DE ‘CINEMA. ENTRE A REALIDADE E O ARTIFÍCIO’

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.