Ivan Dias/ AE- 26/12/10
Ivan Dias/ AE- 26/12/10

O framboesa

Mais uma vez, as poltronas velhas e rasgadas, a sujeira e o desleixo dos funcionários garantiram ao Itaim Paulista o prêmio de pior cinema da cidade

25 de fevereiro de 2011 | 12h22

Um dia antes da cerimônia do Oscar, acontece a entrega do prêmio Framboesa de Ouro - que consagra os piores filmes do ano. Aqui, também temos um representante da fruta: pelo segundo ano consecutivo, o Itaim Paulista ficou com o prêmio de pior cinema. Na hora de comprar o ingresso, o atendimento pelo funcionário do caixa até que foi bom. Mas a bilheteria fica muito perto das salas - e não foi possível distinguir quem queria comprar ingressos e quem entrava no cinema para assistir ao filme. Na bonbonnière, o chão estava sujo, assim como a prateleira de doces. Ao tentar pagar a pipoca (muito salgada) com cartão, nada feito: ali, só dinheiro. Na sala, a situação é pior: as poltronas estão velhas (algumas, até mesmo rasgadas). E deficientes físicos precisam passar longe dali, já que não há lugares reservados para eles nas salas. Sorte deles, por um lado - não precisam aguentar a sujeira do cinema.

 

Por um triz

 

West Plaza - Playarte: Na bilheteria, é preciso (tentar) ignorar o barulho, vindo da praça de alimentação do shopping. Mas a confusão continua na bonbonnière, que só é aberta ao público quando as salas são liberadas.

Lapa - Centerplex: A bilheteria apertada e confusa faz com que a primeira etapa no cinema seja infernal.

Metrô Itaquera - Cine Box: No dia da visita, havia sujeira por toda a parte. E, ali, é cada um por si: é preciso encontrar a sala sozinho, sem a ajuda dos funcionários.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemasala de cinemashopping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.