"O Dia da Caça" estréia na sexta

Estréia nesta sexta-feira, em 22 estados, o filme O Dia da Caça, com direção de Alberto Graça. O filme mergulha no submundo das drogas, retratando personagens que transitam entre o bem e o mal. Diferente de outras tramas policiais, a psicologia dos personagens importa mais do que o número de tiros desferidos durante a história. Participam do elenco Marcello Antony, Jonas Bloch, Felipe Camargo e Paulo Vespúcio.O diretor Alberto Graça optou por um meio diferente de divulgação do filme. Com o projeto Cinema em Movimento, O Dia da Caça vem sendo exibido de graça em várias universidades do país. A idéia inicial era que cerca de 100 mil estudantes tivessem acesso à fita antes da estréia nos cinemas. Mas devido à greve de algumas universidades, o número atingido foi de 65 mil alunos. O projeto continuará mesmo após o lançamento pois os realizadores do filme acreditam que a propaganda boca-a-boca, feita pelos universitários, faz com que o público dos cinemas aumente. As filmagens da produção começaram em 97 e terminaram ano passado. Em entrevista coletiva realizada hoje, em São Paulo, Alberto Graça afirmou que teve muita sorte com a escalação do elenco. "Foi uma química muito forte entre os atores e toda equipe técnica. Foi um privilégio trabalhar com eles". Para Marcello Antony, o grande mérito da boa sintonia entre todos no set foi do diretor. "Cinema é arte da direção. Alberto soube muito bem equilibrar tudo", afirmou.O ator Marcello Antony interpreta um ex-traficante de drogas que é obrigado a realizar uma operação ilícita. Nessa empreitada, pede ajuda a um amigo travesti, feito por Paulo Vespúcio, conhecido do público por seu trabalho em Um Céu de Estrelas, de Tatá Amaral. Jonas Bloch interpreta um policial corrupto que envolve os dois amigos em uma cilada. Felipe Camargo faz um jornalista que está disposto a denunciar o envolvimento de policiais, empresários e políticos no tráfico de drogas.Durante a coletiva, Jonas Bloch resolveu desabafar e fez uma crítica a imprensa. "Em pouco anos, já tivemos três filmes brasileiros concorrendo ao Oscar. Os filmes nacionais já ganharam muitos prêmios lá fora. E ainda dizem que o público não gosta de filme brasileiro. O problema é que existem muitas pessoas que se acham inteligentes mas não têm a capacidade de analisar um filme". Marcello Antony mais descontraído, fazia brincadeiras com os presentes. Confessou que raspar a cabeça para filmar O Dia da Caça não foi um problema. "Na verdade, fiquei curioso já que tive que raspar em cena. Mas o pior foi ter que agüentar o bigode do personagem Marco Antônio, de Terra Nostra. Acabou a gravação, fui correndo tirar", disse em tom de desabafo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.