"O Casamento dos meus Sonhos" é fraco

Sempre adepta dos decotes generosos e das roupas que ajudam a ressaltar o famoso bumbum, Jennifer Lopez agora dá uma de moça recatada. Em O Casamento dos Meus Sonhos, a atriz troca a imagem sexy pela de mulher executiva. Com cabelos presos e tailleur alinhado, Jennifer, que coincidentemente acaba de terminar o namoro com o rapper Puffy Daddy, está à procura de um grande amor.Nessa comédia romântica, a partir de hoje nos cinemas brasileiros, a atriz de ascendência porto-riquenha interpreta uma cerimonialista especializada em casamentos pomposos. Mas, ao contrário do que se pode pensar, sua vida pessoal é totalmente desprovida de romantismo. Quem não consegue se casar, planeja´´, resume Mary Fiore, sua personagem.Suas noites solitárias prometem ter fim quando Mary é flechada pelo cupido durante um incidente ao atravessar a rua, em que quase é atropelada por uma caçamba de lixo em alta velocidade. Isso porque o médico pediatra Steve Edison (Matthew McConaughey) estava no lugar certo e na hora certa para salvar a mocinha e conseqüentemente o sapato Gucci que tinha ficado preso em orifício do tampão da rede de esgotos.Por uma dessas coincidências que só ocorrem nas telas de cinema, o objeto do desejo de Mary acaba se revelando o noivo da magnata da Internet, Fran Donolly (Bridgette Wilson-Sampras), a mais nova cliente da cerimonialista. Assim é estabelecido o conflito de O Casamento dos Meus Sonhos, cujo roteiro parte de uma idéia simpática, mas não consegue garantir o interesse por muito tempo.Em seu filme de estréia, o diretor Adam Shankman cercou-se de atores atraentes e até consegue instaurar um clima de romance. Só que os diálogos são bobos demais. Até mesmo para uma comédia romântica, gênero que costuma carregar na frivolidade e nas doses de açúcar exceção feita a Alta Fidelidade, um exemplo recente de roteiro inteligente. Quando Mary volta a si depois do incidente, ela solta a primeira bobagem que lhe vem à cabeça. Você cheira ameixa vermelha e queijo quente´´, diz ao bonitão, toda derretida. E por aí vai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.