Warner Bros
Warner Bros

'It - Capítulo 2' e outras estreias de cinema da semana com crítica do 'Estadão'

'Estadão' preparou uma lista comentada e com trailers dos filmes que chegam aos cinemas nesta semana; entre os destaques estão 'It - Capítulo 2', baseado em Stephen King, e 'A Tabacaria', sobre Freud

Luiz Carlos Merten, O Estadão

05 de setembro de 2019 | 07h01

Dr. Freud como personagem de ficção. A volta do sinistro Pennywise, agora assombrando os adultos em que se transformaram as crianças de It - A Coisa. A simpática incursão do ator Gael García Bernal pela direção. E o cinema de transcendência da autora japonesa Naomi Kawase. São muitas, e boas, atrações nas estreias desta quinta, 5, nos cinemas. Mas o Capítulo 2 de It deve arrebentar nas bilheterias. Andy (o argentino Andrés) Muschietti conseguiu fazer uma obra-prima de medo. Duvidam? Pois vejam.

'Chicuarotes', de Gael García Bernal

Ator inspirado de Pedro Almodóvar, Alejandro González Iñárritu, Alfonso Cuarón, Hector Babenco, Michel Gondry, Pablo Larraín e Walter Salles, Gael vem há tempos se exercitando na direção. Realizou alguns curtas, um primeiro longa em 2007, mas nunca havia tentado nada tão ambicioso quanto esse drama de fundo social, que acompanha dois jovens da periferia da Cidade do México numa malograda tentativa de sequestro que termina em tragédia. O filme foi apresentado em Cannes, em maio, fora de competição e, em Cannes Classics, voltava em todo esplendor de uma cópia restaurada, zero bala, o clássico Los Olvidados, de Luís Buñuel, que foi o modelo declarado de Gael. Alguns críticos entusiasmaram-se, elogiando especialmente as cenas noturnas, que passam a ideia de um pesadelo acordado.

 

 

'Corgi: Top Dog', de Ben Stassen e Vincent Kesteloot

O cachorro da Rainha Elizabeth leva uma vida de mordomias no Palácio de Buckingham. Mas quando, por culpa dele, tudo sai errado durante a visita de um tal presidente Trump, nosso dog favorito vai para o olho da rua. O lado bom é que conhece a cadelinha de sua vida. Difícil é conseguir voltar a salvo, com ela, para o palácio. Animação de fundo satírico, e político. Já disse um crítico - só falha porque o Trump da ficção é menos caricatural que o da realidade.

 

 

'O Corpo É Nosso', de Theresa Jessouroun

No Brasil campeão de feminicídio, discutir os corpos de mulheres brancas e negras é uma forma de debater o machismo dominante como herança da cultura patriarcal. Mistura de documentário e ficção, o filme chega precedido de muitos elogios.

 

 

'O Homem Ideal?', de Carlos Alberola

Comédia espanhola sobre casal que leva vida aparentemente perfeita. Tentando ajudar amigo que sofre de depressão, é organizado para ele um encontro às escuras. A mulher em questão é uma ex-amante do marido e a esposa, por sua vez, tem uma queda pelo amigo. O próprio diretor é quem faz o papel. Conseguirá o casamento sobreviver? A interrogação no título indica que não existem uniões nem pessoas perfeitas. O negócio é relaxar, e gozar. Embora estreante no cinema, Alberola tem uma carreira de mais de 30 anos no teatro. E é bom. Não - é ótimo.

 

 

'It - Capítulo 2', de Andy Muschietti

Mais que uma sequência para seu sucesso de 2017, o diretor argentino Andrés (Andy) Muschietti fez a reinvenção da trama adaptada de Stephen King - e que já havia rendido um primeiro filme, de Tommy Lee Wallace, em 1990. No anterior, garotos e garotas, os Perdedores, enfrentaram entidade malignas em forma de palhaço. Agora, adultos, precisam enfrentar seus medos - e o trauma produzido por aquela experiência juvenil -, porque Pennywise está de volta. Só a união poderá fazer a força do grupo. Grande elenco (Jessica Chastain, James McAvoy e Bill Skarsgaard como o palhaço), grandes cenas. O filme antigo ganhou no Brasil o subtítulo de Uma Obra-Prima de Terror. Não era (obra-prima). Esse é.

 

 

'A Tabacaria', de Nikolaus Leytner

Um dos bons programas do recente Festival de Cinema Judaico, conta a história de garoto judeu que vai trabalhar numa tabacaria de Viena, nos anos 1930. O movimento nazista ganha força, mas Hans, o protagonista, é jovem e está apaixonado. Aconselha-se com um cliente da casa, que nela compra seus charutos. É um médico renomado, de uma nova especialidade chamada psicanálise. Seu nome: Sigmund Freud. O pai da psicanálise já foi biografado em ficções de John Huston e David Cronenberg - Freud, Além da Alma e Um Método Perigoso. Mas nunca com a candura desse filme. Dr. Freud admite, candidamente, que nada sabe sobre os mistérios do feminino, deixando à intuição e impulsividade de Hans a tarefa de seduzir sua amada Anezka. Um dos últimos filmes de Bruno Ganz, que morreu em fevereiro, durante o Festival de Berlim, aos 77 anos.

 

 

'Vision', de Naomi Kawase

Mulher procura, numa floresta misteriosa, flor rara que nasce a cada 997 anos. Vision é seu nome e pode conter o segredo para aliviar a dor da humanidade e iluminar o conhecimento. A diretora japonesa Naomi Kawase pertence a uma linhagem de autores que filmam o indisível para revelar o invisível. Um cinema da transcendência, que exige atores especiais. Juliette Binoche possui a aura da personagem.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.